16/05/2018

CCJ do Senado aprova criação do Susp; Mesmo os senadres Humberto Costa do PT e Marta Suplicy do PMDB estando contra a inclusão do sistema socioeducativo no projeto, a matéria segue para plenário não sendo feita a retirada do Sistema Socioeducativo do texto final.

Matéria Revista Isto É: A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, nesta quarta-feira, 16, o projeto que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp). O presidente da Casa, Eunício Oliveira (MDB-CE), é um dos principais defensores da proposta e já se comprometeu a levar o tema para apreciação do plenário até a próxima semana. Se for aprovada, a matéria seguirá para sanção presidencial.
A expectativa de alguns senadores é tentar votar o tema ainda hoje no plenário, porém a articulação teria que ser firmada por acordo unânime entre os líderes para driblar prazos regimentais da Casa. A matéria é considerada importante por parlamentares de diferentes correntes políticas por tratar da segurança pública, um dos principais temas a serem debatidos na eleição deste ano.
O relator da matéria na CCJ, Antonio Anastasia (PSDB-MG), apresentou parecer favorável ao texto aprovado pela Câmara, em abril. Ele afirmou que o projeto é oportuno porque até hoje não foi editada uma lei prevista em trecho da Constituição Federal para disciplinar “a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública, de maneira a garantir a eficiência de suas atividades”.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Matéria do Site Senado Notícias:
Debate da inclusão do Sistema Socioeducativo no SUSP revolta a categoria contra o senador Humberto Costa do ( PT-PE) e senadora Marta Suplicy do (PMDB-SP).
Os senadores concordaram com o fato de o projeto ter o mérito de integrar os órgãos de segurança e permitir uma atuação conjunta num patamar inexistente hoje no país. Apesar desse consenso, houve questionamentos de oposicionistas sobre a situação das crianças e jovens em conflito com a lei.
Os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Marta Suplicy (PMDB-SP), por exemplo, criticaram duramente a inclusão do sistema socioeducativo no Susp. Segundo eles, os princípios e regras gerais aplicados a jovens infratores já estão consagrados em lei específica, que é o Estatuto da Criança e do Adolescente, sob o enfoque diferenciado dos direitos humanos.
- Trata-se de um retrocesso, pois o Susp trata exclusivamente de política de segurança e não de pessoas em peculiar condição de desenvolvimento, como as crianças e adolescentes. É importante evitar qualquer confusão entre o sistema prisional do adulto e o sistema corretivo do jovem. Não podemos travestir uma política que é de direitos humanos em política de segurança pública, pois o socioeducativo ficará sempre em segundo plano, com menos recursos - afirmou Marta.
A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) também criticou esse ponto do projeto. Segundo ela, a proposição ficou anos parada na Câmara e só teve um relator no ano passado, o deputado Alberto Fraga (DEM-DF), que incluiu tal mudança no texto.
- Não está em discussão aqui o mérito do relatório do senador Anastasia. O que questionamos é a inserção de uma quase paridade de dois conceitos diferentes - afirmou.

Apoio

O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) concordou com o argumento apresentado pelo relator, segundo o qual o Susp não retira a competência de nenhum órgão, tampouco altera a estrutura ou a natureza do sistema socioeducativo.
- A política nacional socioeducativa continuará normalmente sob o arcabouço dos direitos humanos. Em nada altera o ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente]. Só diz objetivamente, de modo claro, que os órgãos do sistema socioeducativo assim como outros órgãos deverão atuar em cooperação, o que me parece algo natural e necessário - alegou.
A senadora Simone Tebet (PMDB-MS) admitiu que ficou num dilema entre a necessidade da busca de um texto ideal e a urgência de aprovação do projeto, visto que, se houver alteração de mérito no Senado,  a proposta terá que voltar à Câmara.
- Não haverá nunca consenso quando se trata de segurança. Diante do impossível, que é um projeto ideal, não há como retardarmos ainda mais. Há um clamor da sociedade brasileira para a redução da violência. Esse projeto pode retornar à Câmara, que pode não acatar essa mudança e retardar ainda mais a tramitação - opinou.
Uma das emendas (22) retirando do texto o sistema socioeducativo chegou a ser votada de forma destacada (separadamente) a pedido de oposicionistas, mas a sugestão foi derrotada por 13 votos a 8.

Falência

O senador Eduardo Braga (PMDB-AM) afirmou que não restam dúvidas de que os modelos de enfrentamento ao crime adotados até agora no país se esgotaram e já não produzem resultado algum. Por isso, na visão dele, Já passou a hora de se criar um sistema único que integre as ações de combate e prevenção.
- O governo demorou a assumir posição de maior protagonismo nessa matéria, pois o crime organizado não respeita fronteiras. E a violência não está só na metrópoles, mas nas cidades pequenas e médias [...] Em função do que é possível para o momento, voto a favor - justificou, depois de apresentar estatísticas sobre a violência no Brasil.

Política Nacional

Além de instituir o Susp, o PLC 19/2018 cria a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS), prevista para durar 10 anos, tendo como ponto de partida a atuação conjunta dos órgãos de segurança e defesa social da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, em articulação com a sociedade.
Em seu relatório, o senador Antonio Anastasia apontou o que considera as maiores virtudes do projeto, como a participação de todos os entes federados, inclusive dos municípios; a valorização dos profissionais de segurança; os mecanismos de controle social com a participação popular; e o estímulo à articulação e ao compartilhamento de informações, bem como à integração dos órgãos de segurança e de inteligência.
Ele também destacou que até hoje não foi editada a lei prevista no § 7º do artigo 144 da Constituição, para disciplinar a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública, de maneira a garantir a eficiência de suas atividades.

Emendas

Anastasia aceitou apenas emendas de redação, entre elas uma para deixar claro o papel das guardas municipais no Susp ao lado de outros órgãos de segurança; e outra para incluir a Defensoria Pública ao lado do Poder Judiciário e do Ministério Público como colaborador na construção de metas e estratégias da Política Nacional.

Pauta de segurança está praticamente resolvida e Eunício promete urgência sobre SUSP.


projeto que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS) é o primeiro item da pauta da reunião de quarta-feira (16) da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).
De autoria do Poder Executivo, a proposta foi aprovada em abril Câmara dos Deputados, na forma do substitutivo do relator, deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF). Agora, na CCJ, o relator é o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), que já apresentou voto favorável à proposição.
“O projeto é conveniente e oportuno. Há muitos anos a comunidade de segurança pública reclama da falta de uma política e de um plano nacional para o setor. Além disso, até hoje não foi editada a lei prevista no artigo 144 da Constituição Federal, para disciplinar ‘a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública, de maneira a garantir a eficiência de suas atividades”, avalia o relator.
Alguns senadores questionaram na reunião da semana passada o pouco tempo que o Senado tem para discutir a matéria
— Se o relator [Antonio Anastasia] não estivesse preso a essa tese de que não pode mexer para que o texto não volte à Câmara, tenho certeza de que ele faria um relatório primoroso, com todas as mudanças necessárias. Mas não dá. O projeto ficou seis meses na Câmara e agora não podemos mexer? Não podemos aceitar isso. Não podemos votar no afogadilho — afirmou o senador Lindbergh Farias (PT-RJ).

Virtudes

Em seu relatório, Anastasia lista o que considera virtudes da proposta, como a integração de todos os entes federados, a capacitação e valorização dos profissionais do setor, o compartilhamento de informações, e os mecanismos de avaliação e controle social, com participação popular.
O ponto de partida para viabilizar a PNSPDS é a atuação conjunta e integrada dos órgãos de segurança pública e defesa social da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, em articulação com a sociedade. O projeto prevê, inclusive, o auxílio da União aos entes federados que não tiverem condições de implementar o Susp.
O órgão central do Susp será o Ministério Extraordinário da Segurança Pública (MESP). Caberá ao ministério fixar as metas do Plano Nacional, a serem avaliadas anualmente. Os integrantes desse sistema poderão atuar nas vias terrestres e aquáticas, portos, aeroportos e terminais rodoviários. A proposta também estabelece mecanismos de controle e transparência das ações em segurança, regulando a atuação do controle interno, dos órgãos de correição e das ouvidorias.
--------------------------------------------------------------------------------
Matéria Do Site Senado Notícias:
A Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS) é prevista para durar 10 anos. Os estados, o Distrito Federal (DF) e os municípios terão dois anos para elaborar e implantar seus planos de segurança, enquanto as ações projetadas em âmbito nacional serão avaliadas anualmente. Demanda estabelecida pela Constituição federal, esse conjunto de políticas integra projeto de lei da Câmara (PLC 19/2018), de iniciativa da Presidência da República, com aprovação recomendada pelo relator na Comissão de Constituição Justiça e Cidadania (CCJ), senador Antonio Anastasia (PSDB-MG).
Em seu relatório, Anastasia lista cinco virtudes da proposta. Além de também criar o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) — inspirado no Sistema Único de Saúde (SUS) —, integra todos os entes federados na implementação de ações para o setor; busca capacitar, proteger e valorizar seus profissionais; estimula a articulação, a colaboração, o compartilhamento de informações, a cooperação, a integração entre agentes e órgãos de segurança, inclusive o Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin); estabelece mecanismos de avaliação e controle social, com participação popular.

Meios e estratégias

O ponto de partida para viabilizar a nova política é a atuação conjunta, coordenada, sistêmica e integrada dos órgãos de segurança pública e defesa social da União, dos estados, do DF e dos municípios, em articulação com a sociedade. O Susp será subordinado ao Ministério Extraordinário da Segurança Pública. Caberá ao ministério fixar as metas do Plano Nacional de Segurança Pública, a serem avaliadas anualmente. Já estados e municípios terão dois anos para elaborar e implantar seus planos de segurança. O projeto prevê auxílio da União aos entes federados para implementar o sistema. Também fazem parte do sistema planos decenais, o sistema nacional de informações e de gestão de segurança pública e defesa social, o plano nacional de enfrentamento de homicídios de jovens, e a prevenção e o controle de atos ilícitos contra a administração pública.

Fundos e valorização profissional

O sistema contará com o suporte dos fundos de financiamento da segurança pública e defesa social: o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP), o Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) e os fundos estaduais, distrital e municipais. As transferências de recursos para o Funpen e o FNSP serão de execução obrigatória.
A capacitação e valorização do profissional em segurança pública e defesa social é uma prioridade elencada pela proposta. O fato de o Sistema Integrado de Educação e Valorização Profissional, a Rede Nacional de Altos Estudos em Segurança pública e o Programa Nacional de Qualidade de Vida para os Profissionais de Segurança Pública figurarem entre os meios e as estratégias para implementação da política demonstra como a proposta está voltada aos operadores da segurança pública e defesa social.

Outros pontos do PLC 19/2018

O Susp também terá como integrantes a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Ferroviária Federal, as polícias civis, as polícias militares, os corpos de bombeiros militares, as guardas municipais, os agentes penitenciários, os peritos, os agentes de trânsito e as guardas portuárias. Todos os entes federados têm permissão para criar conselhos permanentes de segurança pública e defesa social. O mandato dos conselheiros será de dois anos, permitida uma recondução. Está prevista a implementação de programas articulados com escolas, sociedade e família para prevenção da criminalidade. Tal estratégia pode ter como suporte, inclusive, a criação da disciplina “prevenção da violência” nos currículos escolares. O Susp deverá pautar sua atuação pelos seguintes princípios: proteção dos direitos humanos, respeito aos direitos fundamentais, promoção da cidadania e da dignidade da pessoa humana, resolução pacífica de conflitos, uso proporcional da força, participação e controle sociais, e proteção, valorização e reconhecimento dos profissionais de segurança pública.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)
-------------------------------------------------------------------------------------------

Banco Bradesco faz idosa de 98 anos ser carregada por sua filha até a agência para liberar pagamento.

DESCASO E HUMILHAÇÃO NO BANCO DO BRADESCO...Idosa de 98 anos é obrigada a ir na agencia, mesmo nos braços da filha para revalidar senha para que seu pagamento seja liberado.

https://www.facebook.com/Wagnersantos.oficiall/videos/350247528768285/

28/03/2018

Vitória! Mais uma Grande Vitória.

Agradeço à meus advogados Dra. Joselane Pedrosa e Dr. Evandro Luiz Oliveira, por brilhante atuação, competência e profissionalismo.

Depois de minha reintegração, agora vem a conquista definitiva do reconhecimento do poder judiciário, tendo já como trânsito julgado de meu adicional de periculosidade(30%) sobre meus vencimentos.

Deixo o meu muito obrigado a todos(as) do conceituado escritório Pedrosa.Oliveira & Advogados Associados, que com certeza contribuíram de alguma forma para que pudéssemos alcançar mais esta honrosa e valorosa conquista, sendo ela não menos ou mais importante, quanto as tantas outras que tiveram ou terão no decorrer de suas brilhantes carreiras, pois sei o quanto valorizam seus clientes e suas causas, não fazendo medidas de valores de menores ou maiores importância, tratando a todos(as) sempre com muita ética, profissionalismo, respeito e seriedade.

Sempre Grato;
Leandro Andretta.

14/03/2018

Embu das Artes, prefeito "foragido da lei" e munícipes literalmente abandonados pelo descaso da administração pública, uma vergonha.

"EMBU DAS ARTES", agora uma cidade conhecida por um prefeito que tem o dom da arte de desaparecer.

Anteriormente conhecida por ser uma cidade de grandes exposições de artes diversas e por seus atrativos turísticos, agora conhecida por votar e eleger com 79% dos votos válidos um prefeito que hoje se encontra como foragido da lei, bom cada qual com seu governante que merece.

Não querendo da ênfase a esse suposto envolvido com facções criminosas, precisamos deixar claro que se trata de mais um escolhido pelo PSDB que é acusado por vergonhosos atos criminosos, assim como hoje nosso atual Ministro do STF Alexandre de Moraes e  nossos senador Aécio Neves, ou seja, este partido tem demonstrado ser um verdadeiro celeiro de acusados da "justiça" que se safam devido a terem os poderes em suas mãos e fazerem que "justis in justis", a justiça seja injusta.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Bom, verdadeiramente queremos que o foco desta matéria sejam os descasos para com seus munícipes, a cidade está ao ermo, uma cidade que efetua a cobrança de taxa do lixo, se quer tem feito seu recolhimento, deixando assim um grande acúmulo de lixos e entulhos em calçadas, terrenos e até mesmo ocupando partes de vias públicas ocasionando um total desconforto à seus moradores e visitantes.

Vejam imagens feitas por moradores:



Queremos chamar a atenção do setor responsável pela Zoonose da cidade, devido a grande quantidade de lixos espalhados por todos os cantos tem assim facilitado a procriação de ratos, baratas, cobras, escorpiões, mosquitos e outras pragas que podem ser evitadas se a administração pública arregaçar as mangas, esquecer a fuga do prefeito e começarem a se preocupar um pouco mais com a cidade que pede socorro.

Vejam o apelo de um munícipe: F.P.S. - " Esta é a cidade que cobra taxa de lixo!!!! Embu das Artes está entregue à bandidagem!!!! E o povo que é o culpado, que elegeu um administrador deste!!!! Estrada saxonia, 68, chácara caxingui.

Zoonoses deste município é outra piada!!!! Nesta rua tem uma senhora que cria animais alimentados com resto de carnes, podres, que um açougue larga la e a administração pública não faz nada!!!

Temos os governantes que merecemos?"



ATENÇÃO administradores de Embu da Artes, nós munícipes queremos continuar vendo nossa cidade assim:



Aguardaremos e cobraremos que sejam tomadas todas as providencias cabíveis, este espaço estará sempre disponível para quem achar necessário se manifestar, defender ou prestar explicações a quem achar que é de direito, agimos com responsabilidade, clareza e acima de tudo com o mais alto nível de democracia.

Acorda Brasil!

02/03/2018

É preciso UNIÃO, CORAGEM e DETERMINAÇÃO.

Meus(as) caros(as) nobres companheiros(as) de batalhas e lutas contra as diversas atrocidades que o governo tem efetuado contra toda a nossa sofrida e abandonada categoria socioeducativa do estado de São Paulo e de todo nosso Brasil.

Quero conscientizá-los e chamar a atenção de todos(as), do quanto é importante, agora mais que nunca estarmos unidos para que juntos possamos ter forças para enfrentarmos os novos tempos e as novas batalhas que teremos contra esse governo omisso e que tem tentado nos desclassificar e nos desmoralizar quanto profissionais da socioeducação não nos dando qualquer condição de trabalho para que possamos exercer verdadeiramente nossas honrosas profissões as quais as responsabilidades nos são atribuídas.

Precisamos nos UNIR, juntos precisamos nos fortalecer para que cada vez mais tenhamos CORAGEM de seguir em frente, com uma única DETERMINAÇÃO, que é a de vencermos à tudo e à todos que queiram nos impedir de conquistarmos nossos direitos de servidores(trabalhadores), melhores benefícios, melhores condições de trabalho, salários mais dignos para toda nossa sofrida categoria, melhor segurança em nosso ambiente de trabalho e acima de tudo nossa autoestima.

Agradeço a todos(as) pela altíssima confiança, pelo carinho e pela forma respeitosa que veem efetuado os contatos e as solicitações para que eu possivelmente saia encabeçando uma chapa para que venhamos disputar as próximas eleições sindicais agora não mais do Sitraemfa e sim do SITSESP, sindicato esse que representa única e especificamente nossa categoria dos trabalhadores que das aplicações de medidas socioeducativas do estado de São Paulo.

Quero que saibam do imenso respeito que tive, tenho e terei por cada um de vós e se assim ocorrer, se eu entrar nesta árdua luta será para mudarmos de uma vez por todas a história e as péssimas condições nas quais se encontram nossa querida e sofrida categoria, saibam que eu e todos(as) que estiverem comigo nessa batalha teremos um só foco que é mudar, renovar, inovar e conquistar tudo ou uma grande parte de tudo que perdemos ao longo de todos esses anos, quero mostrar que com muito trabalho e com muita luta, tendo a união e a participação de todos com certeza seremos fortes o bastante para nunca mais passarmos tantas vergonhas que tivemos de passar por anos e anos diante de nosso patronal e da sociedade. Quero resgatar nossas perdas e acima de tudo nossa autoestima e nosso respeito diante de todos .

Reconheço que algumas pessoas que lá estão ou estiveram(sindicato), por muitas vezes até tentaram fazer algo para que contemplasse a categoria, porém por uma guerra de egos e por interesses próprios de outros não conseguiram demonstrar suas verdadeiras intenções e quero dentro de minha humildade conversar, ouvir cada um deles para que assim possa continuar agindo como sempre agi e agirei, sendo sincero, honesto e claro com tudo e com todos, no entanto que jamais precisei denegrir, difamar ou se quer agredir alguém para que o fizesse entender as minhas ideias e meus objetivos que sempre foram os de defender os direitos de toda nossa categoria.

Deixo o meu muito abrigado a todos(as) e um forte abraço, convido que venham comigo todos(as) que quiserem lutar, batalhar e vencer em pró de nossa categoria em um todo e não somente por egos ou por interesses próprios e pessoais.

                                                                   Leandro Andretta.

28/02/2018

ATENÇÃO SOCIOEDUCADORES DO ESTADO DE SÃO PAULO! A CARTA SINDICAL SAIU E AGORA, VAMOS À LUTA?

É hora de RECOMEÇAR, é hora de RENOVAÇÃO, vejo que é necessário INOVAR.

Para recomeçar é preciso que tenhamos coragem e união.

Para renovar é preciso que juntos tenhamos novos pensamentos, novas opiniões e acima de tudo um planejamento para que verdadeiramente venhamos atingir objetivos que atendam aos anseios de nossa categoria em um todo.

Para inovar, vejo que precisamos refletir muito, para que venhamos aprender com os erros cometidos pelos representantes que lá passaram até hoje e jamais deixarmos que venham acontecer novamente, entendo que a inovação iniciará na oportunidade de colocarmos como nossos legítimos representantes pessoas que verdadeiramente sejam gente da gente e que gostem de defender os direitos da gente.

Pessoas que verdadeiramente terão a humildade de ouvir aos anseios da categoria e lutar para que sejamos unidos e fortes, pessoas que venham de uma vez por todas para agregar à nossa categoria um novo momento de lutas, um novo momento de conquistas e acima de tudo que venham demonstrar para categoria sua verdadeira força quando unidos estivermos, que venham demonstrar sua verdadeira importância dentro de suas atribuições dos serviços prestados à aqueles que são excluídos pela sociedade e pelos governantes desse nosso estado e de nosso país.

Entendo que com muito profissionalismo, com muita responsabilidade, com muita dedicação, com  muito trabalho e com o apoio de toda essa nossa sofrida categoria, vamos sim, conseguir dar um novo rumo e uma nova cara para nosso sindicato, em um futuro próximo tenho certeza que ao contrário de hoje, teremos uma opinião muito diferente e a partir daí teremos orgulho de dizer que temos um sindicato forte, um sindicato que luta a favor dos trabalhadores, um sindicato que terá o cuidado e a atenção devida para resgatar auto estima de toda nossa categoria, inclusive de nossos aposentados e demitidos que estejam tramitando "In Judice", pois entendo que todos nós fazemos de certa forma parte desta família de trabalhadores da sócio educação do estado de São Paulo.

Uma nova era de força e de luta está por vir, vamos nos unir.

RENOVAÇÃO E INOVAÇÃO, o momento exige uma solução.


                                                                   Leandro Andretta.

24/12/2017

FELIZ NATAL PRA TODOS HO.HO.HO. HO!

Fundação News, deseja a todos(as) seus(as) leitores(as) e amigos(as), um feliz Natal com muita paz, felicidade e acima de tudo muita saúde.




07/11/2017

Fundação CASA esclarece sobre proposta da escala de revezamento


Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 07/11/2017 14:59:25
Agentes de apoio socioeducativo aprovaram, por maioria, proposta durante assembleia do Sitraemfa 
Ao contrário das inverdades que estão sendo propagadas por meio das redes sociais, a proposta do termo de acordo coletivo sobre a escala de revezamento dos agentes de apoio socioeducativo e dos coordenadores de equipe foi aprovada pela maioria dos profissionais da área durante a assembleia do Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança, ao Adolescente e à Família do Estado de São Paulo (Sitraemfa), ocorrida em São Paulo, no último sábado (04 de novembro).
Os agentes de apoio socioeducativo ouviram e votaram sobre a proposição que foi construída com base nos pedidos apresentados pelo Sitraemfa, organizados a partir das discussões com os delegados sindicais em reuniões descentralizadas, com a comissão constituída pelo próprio sindicato.
Dessa forma, a proposta aprovada foi uma construção da base dos agentes de apoio socioeducativo para a Fundação, aceita pelo secretário de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania e presidente da Fundação CASA, Márcio Fernando Elias Rosa.
A Presidência aguarda o envio da documentação pelo Sindicato para dar continuidade ao procedimento de aprovação junto às secretarias do Planejamento e Fazenda e à Comissão de Política Salarial.

Veja os detalhes do termo proposto para votação na assembleia dos agentes de apoio e coordenadores de equipe.

TERMO DE ACORDO COLETIVO De um lado FUNDAÇÃO CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE – FUNDAÇÃO CASA-SP, entidade de direito público, sem fins lucrativos, mantida pelo Governo do Estado de São Paulo e criada pela Lei nº 185, de 12 de dezembro de 1973, com alterações introduzidas pela Lei nº 12.469, de 22 de dezembro de 2006, e pela Lei nº 15.050, de 20 de junho de 2013, com sede nesta Capital, na Rua Florêncio de Abreu, 848 – Luz, inscrita no C.N.P.J. sob nº 44.480.283-0001- 91, doravante denominada Fundação, neste ato representada pelo Senhor MÁRCIO FERNANDO ELIAS ROSA, Secretário da Justiça e da Defesa da Cidadania, respondendo pelo Expediente da Fundação CASA, brasileiro, portador da cédula de identidade RG. Nº 11.415.470-3 SSP/SP e inscrito no CPF/MF sob n.º 037.166.398-93 e de outro o SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA E EDUCAÇÃO À CRIANÇA AO ADOLESCENTE E À FAMÍLIA DO ESTADO DE SÃO PAULO –SITRAEMFA, entidade sindical representativa dos trabalhadores da Fundação, com sede na Rua Maria Eugênia, 231, Tatuapé – São Paulo-SP, CNPJ 54.068.960.0001-12, doravante denominado Sindicato, neste ato representado por seu Presidente ALDO DAMIÃO ANTONIO, Cédula de Identidade R.G. nº 6.109.376-SSP/SP e inscrito no CPF/MF sob n.º 778.669.598-20, celebram o presente ACORDO COLETIVO sobre ESCALA DE REVEZAMENTO DE TURNOS para os servidores da Fundação, ocupantes do cargo de Agente de Apoio Socioeducativo, nos seguintes termos: Cláusula 1ª – Será admitida a escala de revezamento de turnos (diurno x noturno) para o cargo de Agente de Apoio Socioeducativo, sendo o revezamento entre os turnos pré-estabelecidos no dissídio coletivo de 2015, das 7:00 às 19:00 horas e das 9:00 às 21:00 horas como diurno, bem como das 19:00 às 07:00 horas como noturno. Cláusula 2ª – A implantação da escala de revezamento nos Centros de Atendimento ou setores de trabalho ficará condicionada à votação a ser realizada entre os Agentes de Apoio Socioeducativo e Coordenadores de Equipe classificados no setor, por maioria absoluta (50% mais 1 do quadro de pessoal existente). § 1º - A votação da escala de revezamento deverá ser organizada pelo Sindicato, devendo obrigatoriamente contemplar o período de 05 (cinco) dias para sua realização, com a devida lisura e transparência aos servidores e empregador. § 2º - Será realizada nova votação, em até 30 dias, caso não haja a participação de pelo menos 80% dos servidores do respectivo Centro de Atendimento, devendo constar em ata elaborada pelo Sindicato e enviada à Fundação CASA. SQL-41004 - i Cláusula 3ª – A periodicidade para a alternância de turnos deverá ser de 6 (seis) meses. Cláusula 4ª – Havendo escala de turno, deverá em cada Centro de Atendimento ou setor de trabalho ser mantida a proporção de 40% (quarenta por cento) dos servidores no noturno e 60% (sessenta por cento) no diurno. § 1º - Fica excetuada a proporção definida no caput para os servidores que executam suas atividades na Sala de Situação e no Grupo de Apoio Especial, cujo percentual será 50% (cinquenta por cento) do quadro de servidores. § 2º - Não haverá escala de revezamento na Seção de Recâmbio e nos Grupos de Apoio das Divisões Regionais, cujos servidores trabalharão exclusivamente no período diurno, das 7:00 às 19:00 horas ou das 9:00 às 21:00 horas. Cláusula 5ª – Os servidores que apresentarem 03 (três) faltas injustificadas no período de 6 (seis) meses, perderão o direito de trabalhar no período noturno fixo ou na alternância de escala no próximo período. Parágrafo único – Na evidência de grave situação ocorrida no Centro de Atendimento ou setor de trabalho envolvendo servidor(es), o Diretor do Centro de Atendimento, com aval da Diretoria Técnica, poderá remanejar a escala de trabalho do(s) profissional(is), comunicando necessariamente o Sindicato. Cláusula 6ª – O presente acordo terá efeito em âmbito Estadual. Cláusula 7ª – A vigência do presente acordo terá validade de 01 (um) ano a partir da sua assinatura. E, por estarem de acordo, firmam o presente Termo. São Paulo, 17 de outubro de 2017.
 MÁRCIO FERNANDO ELIAS ROSA FUNDAÇÃO CASA 
ALDO DAMIÃO ANTONIO SITRAEMFA

INVASÃO DOS AGENTES PENITENCIÁRIOS A COMISSÃO DE REFORMA DA PREVIDÊNCIA INTERROMPEU A REFORMA

INVASÃO DOS AGENTES PENITENCIÁRIOS A COMISSÃO DE REFORMA DA PREVIDÊNCIA INTERROMPEU A REFORMA: Temer Sinaliza Que Reforma Da Previdência Pode Ser Rejeitada Pelo Congresso

POR EDUARDO BARRETTO 
07/11/2017 7:55

Presidente da República, Michel Temer, durante reunião com Ministro-Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha -
Marcos Corrêa / Agência O Globo

BRASÍLIA — O presidente Michel Temer sinalizou que a reforma previdenciária, travada no Congresso há seis meses, pode ser desfigurada ou sequer ser aprovada. Em discurso a líderes partidários nesta segunda-feira, o peemedebista também negou que o governo será prejudicado se a reforma for rejeitada. Temer disse ainda que a sociedade "tem que querer" a mudança nas aposentadorias.

— Se num dado momento a sociedade não quer a reforma da Previdência, a mídia não quer a reforma da Previdência e a combate e, naturalmente, o Parlamento, que ecoa as vozes da sociedade, não quiser aprová-la, paciência. Eu continuarei a trabalhar por ela — discursou Temer aos parlamentares e ao mesmo tempo ao público, já que a fala foi televisionada pela TV estatal NBR.

— Não é derrota eventual, ou não votação da Previdência, que inviabiliza o governo. O governo já se fez, já foi feito e continuará a fazer — declarou, tentando desvincular o governo de um revés caso a reforma seja derrubada pelo Congresso, e acrescentou: — Muitos pretendem derrotá-la (reforma) supondo que, derrotando-a, derrotam o governo. Não é verdade. Derrotam o Brasil — emendou.
Momentos que antecederam a invasão com a quebra do cadeado que prendia o portão de acesso



A reforma previdenciária está pronta para ir ao plenário da Câmara há seis meses.( Depois da interrupção que os Agentes Penitenciários fizeram em Maio, com a invasão da Comissão de Reforma da Previdência, não se voltou a discussão do assunto até então)
Invasão da Comissão foi no dia 03 de maio de  2017

Temer também aventou uma aprovação da reforma, mas com mais flexibilizações em relação à proposta que está parada na Câmara. Ele disse que é possível um "avanço", e citou que "quem venha depois", em possível alusão ao presidente do Brasil no mandato de 2019, pode também revisar a Previdência Social.

— Quem sabe conseguimos dar um avanço, que permita quem venha depois, mais adiante, fazer uma nova revisão, quem sabe, da Previdência Social.

Ao contemporizar uma possível rejeição da reforma, em busca de tirar a responsabilidade de si, o presidente afirmou que a reforma não é dele, mas do "governo compartilhado" — Planalto e Congresso Nacional. Ainda, Michel Temer sustentou que o governo "não falhou em um momento sequer" desde maio do ano passado, com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, de quem foi vice por mais de cinco anos.

Temer investiu cerca de oito dos 20 minutos do discurso para comparar dados econômicos da gestão da petista e do atual governo.



Fonte: Jornal O Globo        
Por LEANDRO LEANDRO.

12/09/2017

NOVOS TEMPOS, NOVOS OLHARES é tempo de união.


Foi difícil, foi árduo, foi humilhante, porém o tempo tomou conta de tudo.

Durante todos esses anos de trabalho, de luta e acima de tudo de aprendizado que pude ter como servidor público, cheguei a uma conclusão quanto estar à frente de uma luta coletiva que tantas pessoas divergem-se de suas opiniões, de seus propósitos e principalmente de seus objetivos.

Sofri, chorei, me machuquei, porém ainda que tenha guardado comigo lembranças de diversos confrontos e afrontas, as cicatrizes servirão de ensinamentos, deixando de existir em meu coração qualquer sinal de sequelas ou sentimentos de culpado pelo que fiz ou pelo que deixei de fazer.

Sei que de alguma forma deixei registrado meus passos,  parte de minha história. Fiz o que pude e sempre dei o melhor de mim, ajudei quem pude e nunca quis nada em troca, fiz simplesmente por acreditar que todos nós precisamos de ajuda, de reconhecimento e principalmente de respeito, critiquei quem achei que deveria receber minhas criticas sem denegrir a imagem de ninguém, sem usar de xingamentos ou se quer palavras de baixo calão, nunca abri mão de meus conceitos, de meu caráter, nunca fui de índole duvidosa, porém também nunca escondi minha personalidade, nada fiz como autônomo e sim em meu nome, sempre mantive minha vida como um livro aberto, nunca tive atitudes com interesses de prejudicar meus semelhantes, porém tudo fiz em pró de ajudá-los para que pudessem entender que nesta luta se estivermos só, nada somos e jamais conseguiremos ir para algum lugar se juntos, unidos e de mãos dadas não estivermos.

São NOVOS TEMPOS, com isso temos de aprender a termos NOVOS OLHARES para que não venhamos ficar parados no tempo, entendo que devemos continuar lutando, trabalhando e a cada dia mais aprendendo. Fiquei dois anos em um momento de Standby, onde lá do lado de fora pude ter uma visão muito diferente da qual já se encontrava por tantos anos gravada em minha mente, pude enxergar o quanto fiz tomando à frente e lutando por uma categoria, sem que tenha arrependimento algum independente dos resultados dos quais alcançamos, porém também nesse importante momento de reflexão pude entender o quanto deixei de lutar para que pudesse dar uma condição melhor e mais confortável para minha família, pois é, faz parte das fazes da vida.

Pude perceber que hoje podemos e temos de continuar lutando por nossos direitos de trabalhadores e de cidadãos, para que um dia venhamos no mínimo gozar de que é nosso por direito e que assim sejam verdadeiramente preservados pela justiça da qual tanto sonhamos em vê-la cumprir seu papel na sociedade. Pude perceber ainda mais, que isso só ocorrerá quando tivermos uma sociedade que lute por um coletivo e não em razão de si só. Precisamos nos UNIR, precisamos nos politizar, precisamos parar de extinguir nossos semelhantes por serem de RE`s novos ou antigos, negros, pobres, por terem suas opções sexuais diferenciadas ao que a sociedade traça como normal, por suas religiões, enfim, precisamos nos UNIR.

Aprendi com os NOVOS TEMPOS, que quando passamos a entender a verdadeira necessidade de termos a união de nossos semelhantes, não é só em meio da sociedade e sim em todos os ambientes dos quais fazemos parte, inclusive nosso ambiente de trabalho e aí sim para entender, devemos querer, devemos estar prontos para enxergar com NOVOS OLHARES. 

Cansado de uma era arcaica e totalmente obsoleta da qual já há muitos anos enraizada dentro da instituição de não haver integração ou muito menos interação entre os importantíssimos setores, hoje como uma NOVA GESTÃO, em um outro momento de reestruturação entendo que se conseguirmos começar a olhar diferente do passado e se agirmos com uma união intersetoriais, com certeza poderemos facilitar muito para que todos nós servidores venhamos atingir nossos OBJETIVOS de uma forma mais prazerosa, mais gratificante e menos árdua e estressante, porém para que  isso ocorra, precisaremos abrir mãos de nossos próprios egos, precisamos deixar de querer que os outros façam nossas atribuições, que exerçam nossas funções, precisaremos que os setores funcionem como um todo, como uma engrenagem que se um dentinho se quer que quebre, a máquina (instituição) deixará de funcionar da forma correta e aí, voltaremos aos velhos e desgastantes problemas intersetoriais, voltando assim a dificultar nosso dia a dia e na sua grande maioria das vezes até a impedir que venhamos exercer nossas funções e mostrarmos a nós e aos quem são de direito que vejam e entendam, o quão grande somos profissionais capacitados e qualificados para estarmos prestando nossos serviços, pelos quais pretendemos ser reconhecidos, respeitados e justamente remunerados.

Quero deixar claro que não sou o dono da razão e jamais tive, tenho ou terei essa pretensão, pois simplesmente é a humilde opinião, de quem após travar dois anos de uma batalha judicial e ter sido reintegrado e acolhido novamente de forma digna e respeitosa por toda a categoria, pôde fazer essa tal reflexão e se dar o direito de viver esses NOVOS TEMPOS tendo NOVOS OLHARES e acima de tudo ajudar viabilizar essa tão sonhada e importante UNIÃO entre os setores e servidores desta nossa importantíssima  instituição.

Um forte abraço e meu muito obrigado a todos(as) aqueles(as) quem me estenderam, me estendem e aos que ainda me estenderão as mãos, pois assim farei a todos também estando sempre de braços e de coração aberto para que possa colaborar com meus conhecimentos e principalmente para aprender através da experiência e dos conhecimentos de cada um(a) de vocês.

Leandro Andretta .*.  

17/08/2017

PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO C.A.S.A, faz limpeza na Superintendência de Segurança e Disciplina da instituição.

 Primeiro, tchau querido!
Foi tarde, deixando seu legado de quem não sabe nada de segurança e disciplina.

A limpeza no quadro da instituição não para, desta vez chegou a hora de demitir o arrogante e pré-potente Carlos Alberto Corade que por diversas vezes ordenava que os servidores o chamasse de "Dr.Corade", mesmo sem ter o título, um absurdo, se manteve no cargo até a data de ontem não por sua própria capacidade profissional e sim por indicação da Ex-presidente, que tentou transformar a Fundação CASA em um sistema prisional SAPista trazendo com ela de lá um imenso time de cabides de empregos ao invés de aproveitar os servidores de alto potencial do quadro funcional desta instituição.

Com a vinda do atual presidente, um ar de renovação e de esperança foi dado aos pulmões asfixiados dos servidores, que por doze anos tiveram que respirar um ar pesado e inteiramente nocivo à saúde de todos que lutam e trabalham para que verdadeiramente tenhamos uma instituição de aplicação de medidas sócioeducativas servindo não só de referência nacional, mas também internacional, pois temos um corpo funcional de raça, competentes, que estão diariamente em busca de se capacitarem e se qualificarem a cada vez mais, é verdade que ainda falta muito para que se coloquem a instituição no eixo, porém não podemos cobrar que seja feito em um ano o que não fora feito em doze.

Parabéns Dr. Márcio Elias Rosa por suas iniciativas, pois só de chegar demitindo esse time que travava e não permitia que os servidores tivessem mais esperança de melhorias alguma acredito que tenha ganhado não só o meu respeito, mas sim de uma grande parte da categoria, esperamos que não se pare por aí, ainda temos regionais que servem de calabouço aos servidores, os mantendo calados, sem ânimo algum por falta de incentivos e respeito, os assediando moralmente diuturnamente, ocasionado uma imensa demanda de afastamentos médicos por motivos psicológicos e psiquiátricos, porém acreditamos, devido a essa esperança que nos deste que isso também será resolvido em breve, visite nosso litoral, procure saber um pouco mais da atuação de nossa corregedoria e ouça os servidores, pois se assim o Sr. fizer deixará em seu legado no mínimo a recordação de ter sido um gestor que ouviu a categoria de base e que conseguiu ouvir e enxergar a seus clamores de socorro.

Seja bem vindo Sr. Flavio Jari de Pieri, que venha fazer desta sua gestão uma verdadeira somatória de conhecimentos, que não sejamos coniventes com ações impensadas e isoladas de alguns servidores, porém que venha criar oportunidades aos que se capacitam e se qualificam, principalmente aos que estão lá na base e são os verdadeiros conhecedores das mais diversas dificuldades e das verdadeiras fragilidades de segurança de cada centro de atendimento, deixo aqui desde já, minhas boas vindas e que seja uma gestão de êxitos em suas decisões.

"Que venham mais mudanças iguais as que tivemos até o momento, acredito que será para uma grande melhoria da instituição". 


14/08/2017

JUSTIÇA DO TRABALHO DETERMINA REINTEGRAÇÃO DE SERVIDOR DA FUNDAÇÃO C.A.S.A



Após dois anos de ter sido demitido por Justa Causa equivocada da instituição Fundação CASA, hoje saiu a sentença dada pelo excelentíssimo Juiz do Trabalho Jobel Amorim Das Virgens Filho da 2º Vara do Trabalho de Mauá.

Agradeço o esforço e a dedicação de minha Advogada Dra. Joselane Pedrosa dos Santos em parceria ao Dr. Evandro Luis de Oliveira, que todos os méritos desta reintegração sejam dados a eles por não medirem esforços para que a justiça fosse feita dentro de sua integralidade das garantias de direitos de um cidadão. Deixo aqui meus parabéns à esses dois profissionais que demonstram ser cada dia mais comprometidos com suas escolhas de profissão, usando de seus conhecimentos técnicos, éticos e morais para que consigam aproximar um pouco mais a Justiça, aos direitos de um cidadão.

Tenho comigo a honra e me sinto no dever de divulgar e indicar esses profissionais para quem vier ter o interesse de contactá-los para que possam representá-los tão bem, assim como fui extraordinariamente representado: 11-974417161 Leandro Andretta.(whatsapp). É só me chamar e passarei os contatos.

04/08/2017

REBELIÃO NO CASA GUAIANAZES I DEIXA SERVIDORES FERIDOS.


Durante o dia o risco é constante.

Durante a noite o perigo é certo.

A rebelião se deu início por volta das 18:00hrs. do dia de ontem 03/08/2017, segundo os relatos de servidores que se encontravam de plantão prestando serviços dentro do centro de atendimento à jovens infratores em conflito com as leis, os internos começaram a correr em direção dos servidores com o intuito de dominá-los, os jovens diziam " perderam é tudo nosso", ainda assim já com uma situação de tumulto generalizado, os servidores tentavam retomar a ordem pedindo para que os internos parassem para que pudessem conversar.

Não havendo acordo entre os internos, resolveram então partir para cima dos servidores e agredi-los sem piedade, foi quando os internos conseguiram pegar um dos coordenadores de equipe e com pedaços de lâmpadas quebradas em suas mãos o interno deferiu golpes que chegaram a atingir o pescoço do coordenador que então já refém da Barbare situação, se não bastasse feri-lo com cacos de lâmpadas os internos começaram a lhe dar socos e ponta pés chegando a quebrar um de seus braços.

Em um outro espaço da unidade os internos pegaram também uma servidora, não bastando já toda a situação de rebelião e por mantê-la como refém os internos deferiam tapas na boca da servidora, agressão tamanha que chegaram a quebrar um de seus dentes, fora as ameaças de morte que a servidora teve durante todo o momento que tal ficou a mercê de verdadeiros bandidos protegidos por um sistema falido e por instituições hipócritas dos direitos dos manos, conforme dito por testemunho de um servidor.

Com a chegada de servidores, polícia militar e da deficiente superintendência de segurança na unidade conseguiram recompor a situação trancando os internos em seus quartos, os servidores feridos foram conduzidos ao médico para que assim fossem devidamente avaliados e para que venham a ter os cuidados necessários. O grande problema é o que será feito, quais as medidas legais que serão tomadas pela instituição, irão punir os marginais ou mais uma vez colocarão a culpa nos servidores que diuturnamente ao entrarem para trabalhar já se colocam nas posições de reféns uma vez que ficam três ou quatro servidores para quase setenta internos, dessa forma como poderão impedir que esses criminosos ajam sem ter um corporativo adequado ou um grupo efetivo de contenção imediata sempre que se faça necessário, Senhor Márcio Rosa, esperamos que isso seja verdadeiramente resolvido de forma justa e que valorize os servidores.

Obs: Enquanto os servidores querem resolver os problemas da instituição, ela jamais resolverá os problemas dos servidores, a instituição está em uma situação cômoda, pois os servidores mesmo sem condições nenhuma de trabalho resolvem os problemas institucionais, então para que ela irá se preocupar em contratar mais servidores, dar melhores condições de trabalho aos servidores, pagar horas extras e melhores remunerações, dar uma sensação de segurança maior nos centros de atendimento, constituir um plano de cargos e salários, um convenio médico adequado e tantos outros benefícios como quinquênio automático e outros. 

Deixo aqui para que ler este texto refletir quem está errado é a instituição ou somos nós servidores que resolvemos os problemas que não são de nossa direta responsabilidade e sim da instituição, pensem e analisem se já não é hora de mudarmos?



28/07/2017

Fundação Casa é processada em 1 milhão por demissões ilegais.

Funcionários que faltaram por motivos de saúde foram demitidos sob o pretexto de "faltas justificadas"
São Paulo, 10 de junho - O Ministério Público do Trabalho (MPT) em São Paulo ajuizou ação civil pública contra a Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente (Fundação Casa), pleiteando sua condenação na obrigação de abster-se de considerar faltas justificadas como ponto negativo para fins de avaliação de estágio probatório, devendo considerar os afastamentos previstos na legislação ou em regulamento, acordo ou convenção coletiva, como tempo de efetivo exercício e assiduidade, sob pena de pagamento de multa no valor de R$ 50.000,00 por empregado prejudicado.
Na instrução do Inquérito Civil Público, que fundamentou referida ação, foi confessada pela Fundação Casa a adoção desse critério, no entendimento do Ministério Público, discriminatório, tendo sido comprovado que muitos empregados não foram aprovados no estágio probatório em razão desse procedimento. A Fundação Casa negou-se a ajustar sua conduta aos termos da lei.
Foi requerida, também, a condenação em danos morais coletivas em valor não inferior a 
R$ 1.000.000,00.

26/07/2017

"FUNDAÇÃO CASA", FINALMENTE REESTRUTURA SUA GESTÃO, cabe agora colocar em seus planos a valorização de seus servidores.

A Fundação C.A.S.A do estado de São Paulo finalmente, após (12) doze anos de um comando "SAPista", trazido por Berenice Maria Giannella (Procuradora do Estado de SP) que assumiu em 2005 a presidência da instituição Trazendo com ela para assumir cargos comissionados (cabides de empregos) um verdadeiro batalhão de servidores que se licenciaram de suas atividades da (SAP) Secretaria de Administração Penitenciária, para assumirem os cargos de alto escalão da instituição.

Na época, se já não bastasse os servidores da extinta FEBEM terem acabado de passar por uma gestão extremamente conturbada e ditadora feita por Alexandre de Moraes, que havia demitido injusta e arbitrariamente 1.751(hum mil setecentos e cinquenta e hum) servidores por justa causa, acusando-os por crimes de maus tratos e tortura, que anos depois todas as ações foram revertidas pela justiça ordenando que todos fossem devidamente reintegrados e indenizados por tal ato burro, ditador, autoritário e impensado que ocasionou aos cofres públicos do Estado de São Paulo um verdadeiro rombo de aproximadamente R$63.000.000.00(sessenta e três milhões de reais, não atualizados).

Berenice Maria Giannella, que deveria ser uma salvação para refrigerar os ânimos da instituição, trouxe com ela um esquema tático de presídios, trocando todos os diretores de unidades de internação por novos diretores com experiência em sistema prisional, o grande problema era que eles só entendiam de cadeias e nem se quer conheciam de "quando, o quê e como" fazer algo para que se melhorassem as ações de medidas socioeducativas para jovens infratores, impondo assim que os servidores implantassem um verdadeiro sistema carcerário dentro da instituição.

Por um pequeno período devido a ser tudo novo para todos, tanto servidores, quanto internos, as coisas pareciam estar dando certo, mas quando ambas as partes entenderam o que verdadeiramente estava acontecendo e assim que os servidores viram que ao acatarem as ordens dos diretores SAPistas estavam ocasionando uma grande demanda de processos administrativos, demissões e processos criminais, então deixaram de agir de tal forma e começaram a exigir melhores condições de trabalho, capacitação e condições para que se qualificassem melhor, é verdade que a gestão dela nunca lhe deram tais condições, porém por tratar-se de um povo guerreiro e trabalhador, foram assim mesmo em busca de suas qualificações, tanto que hoje temos um número de servidores com graduações de níveis superior muito maior que em qualquer outro momento da história da instituição, só o que lhes faltam é oportunidades, para que possam colocar em campo suas habilidades e seus conhecimentos para que transformem a instituição em uma verdadeira referência em cumprimento de medidas socioeducativas para menores infratores.

A expectativa de agora, segundo os servidores acreditam que independente ser continuar sendo uma gestão do PSDB, com a vinda do Atual Presidente Márcio Elias Rosa, as coisas poderão ficar um pouco melhor. O atual presidente já demonstrou interesse de fazer uma reestruturação na Gestão da alta cúpula, tanto que, Marcio já vem dispensando pessoas que verdadeiramente agiam contrário ao bom andamento da instituição conforme relatos de servidores, uma das maiores alegrias do corpo funcional depois da saída de Berenice, foi a saída de Maria Eli Colloca, pois segundo os servidores "esta sim foi tarde, por sua tamanha arrogância e prepotência". Márcio ao dispensar a direção da ouvidoria da instituição, fez crescer a expectativa de que de agora em diante este setor poderá funcionar de verdade e não ficticiosamente como os servidores relatam que funcionava, pois nunca se apuravam as denúncias que se faziam da gestão em geral e sim somente dos servidores da base, inaceitável tal situação.

**Os servidores disseram que esperam também, que o atual presidente se atente carinhosamente ao setor da corregedoria da instituição, setor este que vem ocasionando aos cofres públicos do estado um enorme ônus a erário com os altíssimos valores que veem sendo pagos para indenizações das ações trabalhistas devido aos enormes números de processos infundamentados que são revertidos na justiça legalmente comprovados por trabalhadores acusados e demitidos injustamente, total incapacidade e falta de responsabilidade da direção deste valoroso setor que ao entender da categoria o responsável pela corregedoria deveria ser processado e condenado a reembolsar os cofres públicos por sua arbitrariedade impensada de agir.


Márcio (atual presidente), no decorrer desta semana iniciou a reestruturação também nas direções de suas regionais, na data de ontem (25/07/2015) ele descomissionou Sergio Oliveira, hoje ex-diretor da Regional DRM V, situada na região da Vila Maria, Sergio atuava no cargo de diretor regional já há uns doze anos, colocado lá por Berenice, segundo os servidores ele agia de forma autoritária e com várias irregularidades,Sérgio foi relocado ao seu cargo de origem em uma unidade de internação do complexo do Brás, onde prestará serviços.( Tais irregularidades deverão ser apuradas e se comprovadas todas as medidas legais cabíveis deverão ser tomadas). Os servidores disseram entender que este processo de reestruturação está só em seu ponto inicial, pois não havia mais como a instituição prorrogar tantos cargos ocupados por pessoas incompetentes, tomara que venham novas pessoas, novos ares, porém de nada valerá se nessa reestruturação, o novo comando não incluir a valorização dos servidores lhes dando no minimo melhores condições de trabalho para que possam continuar exercendo essa tão importante e árdua missão de ressocializar os jovens em conflito com as leis que se encontram privados de sua liberdade dentro dos centro de atendimento de medidas socioeducativas do maior estado brasileiro que é nosso Estado de São Paulo.

Obs. Fica sob preservação de direitos em não divulgar as fontes de tais fatos relatados por servidores conforme permite no Art. 5º de nossa constituição federal.

Postagens mais antigas Página inicial

ADVOGADOS ESPECIALIZADOS EM AÇÕES TRABALHISTA, CÍVEL e PREVIDENCIÁRIO.

ADVOGADOS ESPECIALIZADOS EM AÇÕES TRABALHISTA, CÍVEL e PREVIDENCIÁRIO.
Faça valer os seus direitos, contrate um advogado Av: Celso Garcia,3976 sala 04 3° Andar,Tatuapé-CEP.03064-000 São Paulo-SP. Cel.-11-97441.7161.

FUNDAÇÃO NEWS

FUNDAÇÃO NEWS
Trazendo o conhecimento dos direitos de cidadania, denunciando as arbitrariedades políticas, lutando por justiça e melhor qualidade de vida aos cidadãos. Av: Celso Garcia,3976 sala 04 3° Andar,Tatuapé-CEP.03064-000 São Paulo-SP. Cel.-11-97441.7161

LA ANDRETTA

LA ANDRETTA
Não percam suas ações, contratem um perito judicial.

Espressione Publicidade

Espressione Publicidade
Publicidade, a alma do seu negócio, publique e vá além de sua imaginação,Soluções extraordinárias em publicidade "Não se esqueça, quem não aparece não é visto".

Conquista Saúde

Conquista Saúde
Atenção Baixada Santista e Região! SISTEMA INTEGRADO DE SAÚDE Com o Conquista você paga apenas quando usa e com valores que realmente cabem em seu bolso. O único Sistema de descontos com Internações, Pronto Socorro, Maternidade e UTI. ATENÇÃO vendedores(as), venham fazer parte desta história e seja você também um vencedor.

EMPREGOS PARA ESTUDANTES, VISITE NOSSA PÁGINA.

EMPREGOS PARA ESTUDANTES, VISITE NOSSA PÁGINA.
"A INTEGRAR TRABALHA POR VOCÊ", Avenida Celso Garcia, 3976-2º Andar-Tatuapé, São Paulo SP. Tel: (11) 2922-3866

Faculdade de medicina chinesa EBRAMEC

Faculdade de medicina chinesa EBRAMEC
A primeira Faculdade de São Paulo especializada em Medicina Chinesa.

Postagens Populares

 

Abaixo Assinado

Abaixo Assinado
Obrigatoriedade da Contratação do Gestor de Segurança nas Empresas Privadas

Sobre

Minha foto
Sou um dos poucos que ainda gostam de seres humanos e que os respeitam como humanos e não como aqueles que os veem como máquinas do sistema podre e hipócrita em que vivemos nos dias de hoje.

Seguidores