29/12/15

FUNDAÇÃO NEWS deseja um Feliz Ano Novo aos amigos e leitores.


O nosso caminho é feito pelos nossos próprios passos… Mas a beleza da caminhada depende dos que vão conosco!

Assim, neste novo ano que se inicia possamos caminhar mais e mais juntos… Em busca de um mundo melhor, cheio de paz, saúde, compreensão e muito amor.

O ano se finda e tão logo o outro se inicia… E neste ciclo do “ir” e “vir” o tempo passa… E como passa! Os anos se esvaem… E nem sempre estamos atentos ao que realmente importa.

Deixe a vida fluir e perceba entre tantas exigências do cotidiano o que é indispensável para você!

Ponha de lado o passado e até mesmo o presente! E crie uma nova vida… Um novo dia… Um novo ano que ora se inicia! Crie um novo quadro para você! Crie, parte por parte… Em sua mente… Até que tenha um quadro perfeito para o futuro… Que está logo além do presente. E assim dê início a uma nova jornada! Que o levará a uma nova vida, a um novo lar… E aos novos progressos na vida! Você logo verá esta realidade, e assim encontrará a maior felicidade… E recompensa…

Que o Ano Novo renova nossas esperanças, e que a estrela crística resplandeça em nossas vidas e o fulgor dos nossos corações unidos intensifique a manifestação de um Ano Novo repleto de vitórias! E que o resplendor dessa chama seja como a tocha que ilumina nossos caminhos para a construção de um futuro, repleto de alegrias! E assim tenhamos um mundo melhor!

A todos vocês companheiros (as) que temos o mesmo ideal, amigos (as) que já fazem parte da minha vida, desejo que as experiências próximas de um Ano Novo lhes sejam construtivas, saudáveis e harmoniosas.

Muita paz em seu contínuo despertar.
Um feliz Ano Novo!

Fundação Casa: um local inseguro para trabalhar


Agentes sofrem com ameaças que são feitas dentro da instituição e executadas do lado de fora.
Funcionário da Fundação Casa feito refém durante rebelião na unidade de Pirituba, em São Paulo / Sigmapress/FolhapressFuncionário da Fundação Casa feito refém durante rebelião na unidade de Pirituba, em São PauloSigmapress/Folhapress
Um local inseguro para trabalhar: é assim que agentes da Fundação Casa definem o dia a dia de ameaças que são feitas dentro da Fundação e executadas do lado de fora.

No dia 4 de dezembro, o agente Marcelo Tadeu de Oliveira, que trabalhava na unidade Raposo Tavares, foi assassinado na zona leste com dois tiros na cabeça quando voltava para a casa.

Dez dias depois, o agente Mauricio Albino, da unidade Brás, levou dois tiros dentro do carro dele, quando havia deixado o local de trabalho, mas sobreviveu.

No dia 17 de dezembro, dois agentes da Fundação Casa Esperança, em Itapetininga, interior de São Paulo, foram atacados com tiros fora do horário de trabalho.

Colegas informam que ambos passam bem. Um agente que conversou com aBandNews FM sob sigilo diz que não há dúvidas da motivação dos casos: retaliação do crime organizado.

Em nota, a Fundação Casa esclarece que todas as ocorrências citadas foram em áreas externas e que a responsabilidade pela segurança dos agentes é da Polícia Militar. 

09/12/15

Rebelião na Fundação Casa de São Bernardo deixa três feridos, simplesmente porque a direção não quis dar ouvidos a servidora que a levou os fatos que concluiu em rebelião no dia seguinte( omissão da direção).

Com medo, agentes já tinham registrado boletim de ocorrência na sexta-feira (04/12), por falta de segurança na unidade.
De acordo com funcionários, rebelião destruiu a parte hidráulica e térreo da unidade de São Bernardo da Fundação Casa. Foto: Andris Bovo
Três agentes socioeducativos ficaram feridos durante uma rebelião causada por adolescentes da Fundação Casa, na unidade de São Bernardo, neste sábado (05/12). Conforme relatos de funcionários, que preferiram não se identificar, o motim começou por volta das 17h e, quando terminou, toda parte hidráulica da Fundação estava destruída, assim como o térreo da unidade.
Ainda conforme os trabalhadores, após a agressão, um dos agentes terá de passar por cirurgia de reconstrução da face. “Um amigo teve a cabeça toda cortada por conta das cadeiradas. Ficamos tomando pauladas, enquanto não conseguíamos abrir os cadeados”, desabafou um agente.
As horas de horror vividas pelos funcionários pareciam não ter fim. “Apanhei muito, meu corpo está todo inchado. Eu tentei segurar, mas não teve como. Quando tive a oportunidade de trancar os menores, não pude fazer porque meus dois parceiros de trabalho ficariam para dentro junto com os infratores”, lamentou.

REBELIÃO ANUNCIADA

Na tarde desta segunda-feira (07/12), uma funcionária revelou que o clima na unidade continuava tenso. “Continuamos com medo. Isso foi uma tragédia anunciada. Se o efetivo estivesse completo teria alguém para abrir o portão. Não tinha ninguém em um ponto que é fixo”, destacou.
O ABCD MAIOR noticiou na última sexta-feira (04/12) que um agente socioeducativo estava com medo de dar aulas no local pela falta de segurança da unidade. De acordo com o funcionário, o quadro de segurança que antes era composto por nove agentes, contava apenas com três. Os adolescentes estavam ameaçando os funcionários, e mesmo assim, eles teriam sido obrigados pela direção a entrarem na unidade e cumprir com o cronograma.

BOLETIM

O caso foi registrado no 8º DP (Distrito Policial) de São Bernardo. De acordo com o delegado titular, Baldomero Girbal, foi feito um boletim de ocorrência. “Foi uma rebelião. Não tenho mais informações, procurem a Fundação.”
A assessoria de imprensa da Fundação Casa não classificou o ocorrido como rebelião, e sim como um movimento indisciplinar. De acordo com a assessoria, o número de funcionários não é divulgado por questões de segurança, mas assegurou que está dentro do normal.
Em nota, o órgão ainda informou que a Corregedoria Geral da Fundação Casa instaurou sindicância para apurar o tumulto que aconteceu no sábado. “Todos os jovens envolvidos passarão por uma Comissão de Avaliação Disciplinar para análise de eventuais sanções disciplinares a serem aplicadas. O Judiciário e os familiares dos adolescentes foram informados da ocorrência”, finalizou em nota.
Por: Camila Meloni (--)

Leia também:

Professora recusa dar aula na Fundação Casa de São Bernardo

Funcionária afirma que a unidade não tem o quadro de funcionários exigido para a segurança dos sócioeducadores

06/12/15

Agentes da Fundação CASA estão morrendo, 23/11/2015 e agora 05/12/2015, o pior é que as autoridades "competentes" dizem que os agentes lidam com jovenzinhos inofencíceis.

Agente da Fundação Casa é executado na zona Leste Sábado, 5 de Dezembro de 2015.

O homem estava a caminho de casa, quando foi morto a tiros. O homem voltava do trabalho e foi assassinado com dois disparos na cabeça, sem ter nada roubado. Veja todos os vídeos do Brasil Urgente.

http://noticias.band.uol.com.br/brasilurgente/rs/video/2015/12/05/15699542/agente-da-fundacao-casa-e-executado-na-zona-leste.html





----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


"Agente da Fundação CASA é baleado em padaria e morre em Campinas/SP...".


Agente da Fundação Casa é baleado em padaria e morre em Campinas
Servidor de 30 anos foi socorrido com vida, mas não resistiu aos ferimentos.
Disparos foram efetuados por dois homens, segundo boletim de ocorrência.
Do G1 Campinas e Região
Um agente de apoio socioeducativo da Fundação Casa, antiga Febem, morreu após ser baleado na noite de segunda-feira (12) em frente a uma padaria no Chácara Primavera, em Campinas (SP). De acordo com a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), Samuel Menal, de 30 anos, estava em frente ao comércio, que estava fechado, quando dois homens desceram de um carro preto modelo Corsa e atiraram.
A vítima, inicialmente identificada como agente penitenciário, foi levada com vida para o Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), mas não resistiu aos ferimentos e morreu às 10h desta terça-feira (13).
Em frente à padaria foram encontradas duas cápsulas de bala e um coldre vazio, usado para armazenar revólveres. De acordo com relato de uma testemunha no boletim de ocorrência, o agente informou, após ser baleado, que não estava armado. O caso foi registrado na madrugada desta terça no 4º Distrito Policial (DP) como tentativa de homicídio. Até a publicação da reportagem, ninguém havia sido preso. A SSP informou que o caso será investigado para apurar a motivação do crime.
A polícia ainda não informou se o funcionário público estava trabalhando como segurança da padaria.
Em nota, a Fundação Casa lamentou a morte do agente e informou que ele morava em Campinas com a família, mas que trabalhava no centro socioeducativo Nova Aroeira, próximo à Rodovia Raposo Tavares, em São Paulo (SP). A Fundação Casa também informou que dará apoio aos familiares e que as circunstâncias em que ocorreram a morte serão investigadas pela Polícia Civil.
Agente da SAP também é baleado
Um funcionário da SAP também foi baleado por um tiro de fuzil no dia 23 de outubro, em Hortolândia (SP). O agente de 43 anos ficou internado por cinco dias no HC da Unicamp. A vítima foi atingida pelo tiro enquanto dirigia um carro oficial da secretaria pela Rodovia Jornalista Francisco Aguirre (SP-101), que liga Campinas a Monte Mor (SP).
O funcionário seguia para o Centro de Progressão Penitenciária (CDP) Professor Ataliba Nogueira, em Hortolândia, para devolver o veículo que estava em uma oficina para manutenção. De acordo com a 2ª Companhia do 47º Batalhão da Polícia Militar (PM), a bala atravessou a lataria do veículo de modelo Siena, ultrapassado os bancos, e atingiu o homem pelas costas.

Sentindo-se ameaçada,professora recusa dar aula na Fundação Casa de São Bernardo.

Funcionária afirma que a unidade não tem o quadro de funcionários exigido para a segurança dos sócioeducadores.
Por: Camila Meloni
O ABCD MAIOR recebeu uma denúncia anônima sobre as condições de trabalho dos agentes sócioeducativos na Fundação Casa de São Bernardo. De acordo com funcionários, na manhã desta sexta-feira (04/12), eles teriam sido obrigados a entrarem na instituição para dar aulas sem nenhuma segurança.
De acordo com funcionários, de nove apenas três agentes faziam segurança nesta sexta. Foto: Andris Bovo
De acordo com funcionários, de nove apenas três agentes faziam segurança nesta sexta. Foto: Andris Bovo
Conforme uma professora, que preferiu não se identificar, a instituição passa por dificuldades e o quadro de segurança que antes era composto por nove agentes, agora conta com apenas três. “Estou com medo de ficar aqui. Os adolescentes estão nos ameaçando com facas produzidas por eles mesmos. Eles querem pegar os funcionários de reféns para fugir. E a direção não está fazendo nada para nos proteger”, relatou.
A assessoria de imprensa da Fundação Casa classificou o ocorrido como um impasse com apenas um funcionário. E ainda esclareceu que o centro estava com toda estrutura para funcionar normalmente. Assumiu que houve falta de funcionários, porém que foi reposta no mesmo dia.
O caso foi registrado no 8º DP de São Bernardo. De acordo com o delegado titular, Baldomero Girbal,foi feito um boletim de ocorrência, mas não se trata de uma ação criminal. “Não compete a polícia interferir nas questões administrativas do governo”, explicou.
A Fundação Casa, antiga Febem, presta assistência a jovens de 12 a 21 anos incompletos em todo o Estado de São Paulo. Eles estão inseridos nas medidas socioeducativas de privação de liberdade (internação) e semiliberdade.
Comentário de Leandro Andretta, um contribuinte que exige uma resposta a sociedade, pois quem os pagam somos nós: É incrível como esta atual gestão tenta maquiar sua total incompetência, pior que isso além de não passarem as informações na íntegra para o conhecimento da mídia e da sociedade, quando passam as informações elas são totalmente distorcidas de uma forma de quem as vêem entendam que a culpa, o erro ou a incompetência é do servidor e não desta falha gestão que deixa literalmente de dar condições de trabalho para seus servidores, deixando-os assim a mercê de suas próprias condições, ficando assim como reféns não somente dos internos dentro dos centros de atendimento, mas principalmente reféns desta alta cúpula de uma gestão que os açoitam diuturnamente deixando de lhes dar melhores condições de trabalho, melhores remunerações e se isso só já não bastasse ainda causam transtornos psicológicos devido a pressão que sofrem dos internos e não menos devidos aos assédios morais que esses tão sofridos servidores sofrem feitos por seus gestores.
A pergunta é, até quando isso será aceito pelas autoridades competentes, o que falta para que seja aberto uma CPI das instituições que aplicam medidas socioeducativas de todo o Brasil e principalmente no Estado de São Paulo? Não fazem porquê? Rabo preso ou por incompetência?

Matéria extraída de ABCD Maior.Por: Camila Meloni

03/12/15

Servidor deixa alta gestão da Fundação CASA engasgada diante de deputados(as) na ALESP,ao lhe perguntar de dados estatísticos da instituição.

Foto extraída do google (meramente ilustrativa).

Foi um show a parte, a atual presidenta da instituição Fundação CASA do estado de São Paulo, Dtra. Maria Berenice Giannela com toda sua ingenuidade indagou a ela mesma diante de servidores da instituição sob seu comando e também diante dos (as) deputados(as) da seguinte maneira,"NÃO SEI PORQUE OS SERVIDORES CRITICAM TANTO ASSIM A MINHA GESTÃO, POIS NENHUMA OUTRA GESTÃO ANTERIOR A ESTA FEZ TANTO PARA ELES QUANTO EU, DEI A ELES VALE REFEIÇÃO, VALE ALIMENTAÇÃO, IMPLANTEI O BÔNUS POR METAS ATINGIDAS, NUNCA ELES TIVERAM TANTOS BENEFÍCIOS DO QUANTO ELES TEM NESTA GESTÃO", a presidenta ainda disse que é difícil satisfazer e agradar os servidores dessa categoria, ou seja ela acha que está fazendo um favor para nós e não sua obrigação de pagar os devidos benefícios a nós servidores que damos nossas caras, suor e literalmente nosso sangue para que um dia possamos ter melhores condições de trabalho e melhores remunerações para nossa categoria que ao contrário de tudo isso que ela disse, nós sabemos de tudo e de toda a pressão que sofremos dentro dos centros de atendimento, tanto dos internos, quanto da gestão que nos açoitam e deixam muitos de nós com crises depressivas e demais problemas psicológicos simplesmente por não darem a mínima com oquê acontece com servidores(as) que apanham, levam cuspe na cara e em muitas das unidades são literalmente impedidos pelos internos de exercerem suas funções e de colocarem em prática suas atribuições e ainda assim esta atual gestão tem coragem de dizer que possuem um planejamento estratégico para que sejam evitadas essas tais situações que deveriam ser inadmissíveis, até parece que quem está em cumprimento de medida são os servidores e não os menores infratores que foram encaminhados para lá através de uma ordem judicial.

Deixo aqui uma pergunta para a alta gestão e para as autoridades, será que cumprir a ordem judicial é tão e somente levar o menor infrator para dentro desta instituição, privá-lo de liberdade e deixá-lo fazer o que quer dentro da instituição?  É Dtra. Berenice, parece que as máscaras estão definitivamente caindo e as autoridades e a sociedade agora estão conseguindo enxergar as verdades dos fatos, tanto é verdade que no momento que um dos servidores lhe perguntou ainda lá na ALESP diante dos deputados(as) se a senhora poderia lhe dizer se hoje na instituição FC tem a mesma quantidade de internos que tínhamos em 2005 a senhora lhe disse que não hoje temos muito mais internos e logo em seguida esse mesmo servidor também lhe perguntou se tínhamos hoje a mesma quantidade de servidores que tínhamos em 2005 e rapidamente a senhora lhe desviou o olhar e gaguejando lhe respondeu que não tinha esses dados, pois é, mais uma vez demostrou o total despreparo e falta de atenção para com seus servidores, também lhe foi dito quanto a super lotação dos centros de atendimento inclusive no complexo Brás, sabemos que em diversas unidades existem um número de internos acima de suas capacidades e que também esses internos dormem com seus colchões no chão, dificultando ainda mais o trabalho dos agentes que já trabalham com um quadro funcional extremamente reduzido tanto por falta de novas contratações quanto por muitos estarem de afastamento médico devida ao altíssimo nível de pressão psicológica e por agressões feitas por internos conforme dito inicialmente, acreditamos que é chegada a hora de assumirem a total falta de gestão e a incapacidade de gerir uma instituição tão importante como essa que agrega tantos servidores de talento e imenso conhecimento que simplesmente por forças de poderes são indevidamente e ilegalmente impedidos por total falta de condições de trabalho oferecidas a eles para que possam verdadeiramente exercerem suas devidas funções e definitivamente possam fazer que os menores infratores venham cumprir suas medidas socioeducativas que judicialmente lhes foram sentenciadas, vamos parar de fazer de conta, arregaçar as mangas e assim que nos derem plenas condições de trabalho e melhores remunerações com certeza será tudo melhor.

um forte abraço.

Fica preservado o direito de imagem e da fonte dessas informações prestadas à pedido do mesmo devido a possíveis retalhações em seu local de trabalho( devidamente respaldado legalmente conforme constituição federal vigente deste país).

Gestão da Fundação CASA sabe dos problemas que ocorrem dentro dos centros de atendimento e ainda insistem em não fazer nada para resolvê-los, que vergonha...

PESSOAL, BOA TARDE
CASA JEQUITIBÁ QUANDO MANDA VEM DE ENXURRADA RSRSRSRSRSR.

Casa Jequitibá, foto extraída do google.
-Os internos estão utilizando tênis em todas as dependências da unidade (dormitórios,refeitório,sala de aula) pelo menos uns 30 internos já fazem uso desse novo acessório. A direção e administrativo tem ciência do fato que já ocorre por pelo menos 2 meses, e nada é feito ... Cade a condição de trabalho??? Os internos ficam chingando os funcionários de parasita pra pega chinelo, além de todo o desconforto os vagabundos ficam arrastando esse chinelo pra faze barulho, a falta de chinelo também fragiliza a segurança pois nem luva tem direito pra fazer revista na unidade e passa batido esses tênis ... Se é passada a situação fazem pouco caso e perseguem que nem fizeram com nosso colega no começo do ano ... Estão fazendo de tudo para calar os funcionários na unidade! Cadê as condições de trabalho?
-Início de Rebelião na Fundação Casa JEQUITIBA em Campinas entorno das 09:30 início do lanche escolar os adolescentes iniciaram uma tentativa de tomar a casa porém pegaram o coordenador de refém mas os agentes entraram e salvaram o coordenador evitando problemas maiores e contornaram a situação.
matéria extraída da pag. Flavio Ciuti (Facebook).

18/11/15

Exploração CASA informa:

terça-feira, 17 de novembro de 2015



Comunicado DRH – 038, de 16-11-2015

Comunicamos a todos os servidores que, em virtude do 
provimento parcial ao recurso de Agravo Regimental interposto 
pela Fundação, contra decisão anterior do Presidente do Tribunal 
Superior do Trabalho que concedeu liminar para suspender parte 
dos efeitos do dissídio coletivo 2015, fica alterado o reajuste 
aplicado anteriormente de 7,67%, passando para 7,35%, no 
próximo pagamento, para benefícios e salários.
Comunicamos também que a decisão suspendeu os seguin-
tes benefícios:
- Concessão de 3(três)folgas anuais aos ocupantes de 
cargos de Agente de Apoio Socioeducativo e Coordenador de 
Equipe que trabalham em escala 2x2;
- Incorporação da gratificação de função recebida por dez 
ou mais anos;
- Da representação do Delegado Sindical;
- Empregados e Fundação terão o prazo de 60(sessenta) 
dias para implementação da medida que trata da participação 
dos trabalhadores no implemento dos resultados e multa pelo 
descumprimento
- Da multa pelo descumprimento de cláusulas deferidas na 
sentença normativa.
A decisão não modificou os benefícios já suspensos ante-
riormente:
- Pagamento do vale-alimentação para os servidores afas-
tados por acidente do trabalho, por um período de até 6 (seis) 
meses de afastamento;
- Pagamento do benefício para servidores que tenham filhos 
deficientes, revogando-se o Comunicado DRH nº. 021/2015;
- Concessão de licença maternidade de 180 (cento e oitenta 
dias), à servidora gestante, à servidora e ao servidor adotante 
ou guardião.
Portanto, seguem abaixo os novos valores dos benefícios 
com o reajuste de 7,35%:
- VALE REFEIÇÃO – R$ 429,40
- VALE ALIMENTAÇÃO – R$ 135,26
- AUXÍLIO FUNERAL – R$ 1.699,46
- AUXÍLIO CRECHE – R$ 312,61
Lembramos que todos os benefícios deferidos e suspensos 
estão sujeitos a nova análise pelo TST.
Retificação do D.O. de 6-11-2015
No Processo RMC0047/14,
Onde se lê: "Parecer Jurídico: AJ - 1565/2015".
Leia-se: "Parecer Jurídico AJ nº 1656/2015, datado de 
27/10/2015".
 DIVISÃO REGIONAL METROPOLITANA OESTE
Despacho do Diretor de Divisão, de 12-11-2015
Processo RM4 nº 0069/2012 - Nos termos do art. 1º da 
Portaria Normativa nº 204, de 16/05/2011, despacho dO Diretor 
da Divisão Regional Metropolitana Oeste - DRM-IV aplicando 
MULTA à empresa Albatroz Segurança e Vigilância Ltda, inscrita 
no CNPJ/MF sob o nº 66.700.295/0001-17, por inexecução 
parcial do ajuste, decorrente do objeto descrito no Termo de 
Contrato nº 009/2012 DRM-IV, no valor total de R$ 305,63 a 
ser descontado da Proxima Nota Fiscal, por ocasião do seu 
pagamento. Fundamento legal: art. 87, inciso II da Lei federal 
nº 8.666/93 e respectivas alterações c.c. art. 6° da Portaria 
Normativa nº 204/11.

Nota de Esclarecimento ao agravo da Fundação CASA

Nota de Esclarecimento ao agravo da Fundação CASA
Esclarecimento ao agravo da Fundação CASA
TER, 17 DE NOVEMBRO DE 2015 12:50

O SINDICATO SITRAEMFA doravante denominado SITSESP - SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS FUNDAÇÕES PÚBLICAS DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE EM PRIVAÇÃO DE LIBERDADE DO ESTADO DE SÃO PAULO, vem através deste informativo por seu Presidente e por deliberação desta Diretoria esclarecer e informar o quanto segue:

Considerando a necessidade de esclarecer e atualizar a Categoria dos trabalhadores da Fundação CASA sobre o andamento do Dissídio Coletivo do ano de 2015, e de dirimir quaisquer dúvidas que porventura estejam sendo ventiladas por terceiros que não constituem a representação desta nobre Categoria.

Considerando as ultimas publicações do Diário Oficial do Estado de SP onde a Fundação CASA informa sobre o resultado do Agravo Regimental no Efeito Suspensivo PROCESSO Nº TST-ES-14351-31.2015.5.00.0000.

 CUMPRE a esta entidade SINDICAL, esclarecer que:

  1º EFEITO SUSPENSIVO, NÃO É O RESULTADO FINAL DA AÇÃO DO DISSIDIO COLETIVO Processo: RO - 1000684-04.2015.5.02.0000 QUE SE ENCONTRA EM TRÂMITE NO TST, E NO MAIS CABE POR OBRIGAÇÃO CONSTITUCIONAL SEMPRE QUE DISCORDAR DE QUALQUER RESULTADO A FUNDAÇÃO CASA POR SER UM ÓRGÃO ESTADUAL BUSCAR SEU RECURSO JUDICIAL PERTINENTE.

2º O AGRAVO REGIMENTAL QUE TAMBÉM É OUTRO RECURSO QUE CABE Á FUNDAÇÃO UTILIZAR EM CASO DE DISCORDÂNCIA DE RESULTADO QUE NÃO LHE FOI FAVORÁVEL, TAMBÉM NÃO SE TRATA DA DECISÃO FINAL DO DISSIDIO COLETIVO.

Portanto a ENTIDADE SINDICAL SITRAEMFA/SITSESP NÃO TRABALHA COM O “SE”, E NEM COM O “ACHISMO”, toda e qualquer informação que não conste de publicação OFICIAL NOS MEIOS CORRETOS NÃO CORRESPONDE Á VERDADE E NÃO DEMONSTRA O TRABALHO EFETUADO POR ESTA DIRETORIA.

DESTE MODO DIANTE DO JÁ EXAUSTIVAMENTE EXPOSTO, ESCLARECEMOS QUE A AÇÃO PRINCIPAL DO DISSIDIO COLETIVO Processo: RO - 1000684-04.2015.5.02.0000 AINDA NEM SEQUER FOI JULGADA, sendo assim QUALQUER DECISÃO ANTERIOR é PASSÍVEL DE ALTERAÇÃO, TAIS ESCLARECIMENTOS ESTÃO SENDO TRATADOS DIRETAMENTE PELO ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA CONTRATO DE BRASÍLIA ESPECIALMENTE PARA ESTE FIM.

ESTE SINDICATO SITRAEMFA/SITSESP ESTARÁ SEMPRE LUTANDO EM PROL DOS DIREITOS DOS TRABALHADORES DA FUNDAÇÃO CASA, NUNCA FUGINDO OU SE OMITINDO PARA PRESTAR QUALQUER ESCLARECIMENTO NECESSÁRIO Á SUA CATEGORIA.

SENDO ASSIM SE INFORME JUNTO AO SEU DELEGADO, DIRETOR DO SINDICATO OU LIGUE PARA O SITRAEMFA/SITSESP, e ACOMPANHE TAMBÉM AS INFORMAÇÕES OFICIAIS NO SITE DO SINDICATO OU NOS BOLETINS INFORMATIVOS

13/11/15

Internos da Fundação Casa de Pirituba fazem rebelião com reféns.

Unidade na capital paulista teve focos de incêndio e 2 funcionários feridos.
PM cercou área para evitar fugas; Corregedoria negocia liberação de reféns.(Cabe lembrar que a corregedoria não é capacitada para fazer negociações, talvez seja um dos diversos motivos de servidores saírem feridos nessas"negociações" feitas por uma corregedoria parcial ao patronal, já é discutida por toda a categoria a falta de imparcialidade e pela total arbitrariedade dessa atual corregedoria, porém esta atual e omissa gestão re fazer de conta que está tudo bem, oremos para que não seja necessário morrer ainda mais servidores para que isso mude de uma vez por todas.
Os Diretores (representantes)do sindicato da categoria SITSESP, Camparetti e Luis estavam presente no período dos fatos e ficaram indignados com a total falta de preparo, omissão e incompetência da atual gestão da instituição Fundação CASA que dia após dia deixam aumentar os riscos de morte de servidores que prestam serviços e cada dia mais são desvalorizados e colocados as covas dos leões.

Leandro Andretta: "Vamos fortalecer nosso sindicato, pois o único órgão legal para nos representar é ele, para isso devemos deixar os melindres de lado, parar de nos digladiarmos entre situação e oposição e juntos nos fortalecermos para lutarmos contra nosso único e verdadeiro inimigo que é o patronal, pois eles sim nos açoitam e com seus jogos sujos acabam nos colocando uns contra os outros , está na hora de acordarmos categoria unida é categoria forte e o sindicato somos nós, vamos juntos todos nós darmos início a uma nova história, história esta que venhamos sem interesses próprios, por cargos ou status, que venhamos por um só interesse, o interesse de infinitas melhoras de condições de trabalho e melhores remunerações e benefícios para toda a categoria do sistema socioeducativa do Estado de São Paulo".




13/11/2015 12h26 - Atualizado em 13/11/2015 15h49

Internos da Fundação Casa de Pirituba fazem rebelião com reféns

Unidade na capital paulista teve focos de incêndio e 2 funcionários feridos.
PM cercou área para evitar fugas; Corregedoria negocia liberação de reféns.

Internos da Fundação Casa de Pirituba, na Zona Norte de São Paulo, fazem uma rebelião na desde as 10h30 desta sexta-feira (13) e mantêm funcionários reféns, segundo a GloboNews. Dois deles ficaram feridos e foram liberados por volta das 14h, de acordo com a assessoria de imprensa da instituição. A Corregedoria Geral e a Superintendência de Segurança da Fundação Casa estão no local, negociando a liberação de outros nove reféns.
Há um foco de incêndio na área externa de um dos setores da unidade, e os menores estavam espalhados por toda área. Alguns grupos também se concentram em cima dos telhados e outros próximos aos muros, após terem passado pelas grades de proteção.
O complexo tem duas unidades, com capacidade para 83 internos. Atualmente, 79 menores estão no local, de acordo com a GloboNews. A Polícia Militar (PM) cercou a área para evitar fugas e o Corpo de Bombeiros foi acionado para fazer o combate às chamas.
Em nota, a Fundação Casa informou que a Corregedoria da instituição vai instaurar uma sindicância para investigar os motivos do tumulto, quando a rebelião terminar.
Internos da Fundação Casa de Pirituba, na Zona Norte de SP, fazem rebelião na tarde desta sexta (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo)Internos da Fundação Casa de Pirituba, na Zona Norte de São Paulo, fazem rebelião na tarde desta sexta-feira (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo)
Internos se espalharam pelo complexo, cercado pela polícia (Foto: Reprodução/ TV Globo)Internos se espalharam pelo complexo, cercado pela polícia (Foto: Reprodução/ TV Globo)
Crescimento de fugas
Até o dia 25 de outubro, data do último levantamento, 528 internos escaparam das unidades da Fundação Casa este ano, uma média de 1,77 caso por dia.
É o maior número de fugitivos nos últimos dez anos, e também a maior desde que a instituição mudou de nome de Fundação Estadual para o Bem Estar do Menor (Febem) para Fundação Casa, em dezembro de 2006.
FUGAS NA FUNDAÇÃO CASA (2006-2015)
Ano
Fugiram
Voltaram
2006
186
139
2007
220
110
2008
86
30
2009
184
35
2010
238
82
2011
204
38
2012
417
132
2013
454
172
2014
382
84
2015*
528
128
* Até 25 de outubro de 2015. Fonte: Fundação Casa
Dos 528 fugitivos, 128 foram recapturados nas 150 unidades da Fundação Casa espalhadas pelo estado, segundo levantamento da própria instituição. O número de fugitivos aumentou 38% em relação ao ano passado, quando foram registradas 382 fugas. O número só não é pior do que o de 2005, quando, ainda sob o nome de Febem, ocorreram 775 fugas.
Além das fugas, o ano de 2015 na Fundação Casa é marcado por rebeliões, falência da empresa que cuidava da segurança, superlotação, falta de servidores e denúncias de tortura de funcionários contra os internos.
Em uma das fugas ocorridas em Santos no dia 12 de outubro deste ano, 42 adolescentes chegaram a usar um barco para fugir após renderem os carcereiros.
A rescisão de contrato com a empresa de segurança, falta de servidores e superlotação de algumas unidades são a combinação perfeita para facilitar a fuga dos adolescentes.
A atual presidente da Fundação Casa, Berenice Gianella, assumiu a função em 2005. Na ocasião, foram registradas 775 fugas.
Desde então, o número de internos fugitivos estava caindo. Em 2006,  foram 186 fugitivos e 139 recapturados. Em 2007, 220 fugas e 110 recapturas. No ano de 2008, 86 fugas e 30 recapturados. Em 2009, 184 adolescentes fugiram e 35 foram recapturados.
Em 2010, 238 fugitivos e 82 recapturados. No ano de 2011, 204 fugas e 39 recapturados. Em 2012, 417 fugitivos e 132 recapturados. Em 2013, 454 fugas e 172 recapturas. E em 2014, 382 menores fugiram e 84 foram novamente apreendidos.
Em uma das fugas ocorrida em Santos no dia 12 de outubro, 42 adolescentes fugiram com a ajuda de um barco após renderem os carcereiros.
Segurança
O governador Geraldo Alckmin (PSDB) admitiu que a falência de uma empresa terceirizada quefazia a segurança de algumas unidades da Fundação facilitou a fuga dos menores.
Em maio de 2015, a empresa Anviseg Segurança e Vigilância faliu e os postos de vigilância passaram a ser cobertos por funcionários da fundação em regime de hora extra. Uma licitação foi aberta e uma nova empresa contratada.

Os policiais militares de folga podem fazer “bico oficial” nas unidades de todo o estado de São Paulo. A decisão foi divulgada no dia 30 de setembro pelo governador. A Secretaria de Segurança Pública autorizou os PMs que quiserem fazer jornadas de até oito horas por escala na segurança externa da antiga Febem.
Problemas de superlotação
Em agosto, o Ministério Público de São Paulo, por meio da Promotoria da Infância e Juventude, protocolou nesta sexta-feira (8) ação civil pública na Vara da Infância e da Juventude contra a Fundação Casa. Segundo levantamento do MP, o déficit de vagas para internação na Fundação Casa chega a um total de 1.470 em todo o estado. Na capital paulista, as unidades têm capacidade para 3.061 menores, mas chegaram a receber 3.623 no período avaliado, de janeiro de 2013 a julho de 2014. Já as unidades do interior, podem acomodar 5.018 adolescentes, mas atingiram um total de 5.926.
Em nota, a Fundação Casa afirmou que "o excedente que existe na instituição deve-se, principalmente, às exageradas internações e internações provisórias decretadas pelo Poder Judiciário paulista, principalmente pelo ato infracional de tráfico de drogas, em contradição à orientação da Súmula 492, do Superior Tribunal de Justiça (STJ)".

Postagens mais antigas Página inicial

Pedrosa e Oliveira Advogados assossiados

Pedrosa e Oliveira Advogados assossiados
Procure seus direitos, procure um advogado.Rua do Bosque,1589 - 8º andar - Sala 807 - Edificio Capitollium Barra Funda - SP - CEP 0136001 - E-mail:pedrosa.oliveiraadvogados@gmail.com (11)3473-2638 (11)33938436

Postagens Populares

 

Abaixo Assinado

Abaixo Assinado
Obrigatoriedade da Contratação do Gestor de Segurança nas Empresas Privadas

Sobre

Minha foto
Sou um dos poucos que ainda gostam de seres humanos e que os respeitam como humanos e não como aqueles que os veem como máquinas do sistema podre e hipócrita em que vivemos nos dias de hoje.

Seguidores