10/08/16

Unidades de internação da Fundação CASA (Regional Vila Maria DRM-V) perdem o controle total e colocam em risco de morte os servidores.

Febem X Fundação CASA, Mudaram nomenclatura, os problemas são os mesmos.

Segundo informações de servidores, após haver um início de tumulto no CASA São Paulo no dia 06/08/2016, e ter sido devidamente controlado pelos próprios servidores que se encontravam de plantão no momento, tivemos no dia seguinte uma terrível rebelião no CASA Bela Vista, também dentro do complexo Vila Maria (DRM-V), deixando quatro servidores feridos,  sendo um desses, com ferimentos graves não conseguindo andar, se alimentar ou se quer se mobilizar devido ter uma de suas costelas fraturada e seu nariz quebrado por ter sido gravemente agredido por internos simplesmente por estar impondo os limites conforme determinam o regimento interno da instituição.

Cabe deixar claro que neste mesmo final de semana houve outro início de tumulto no CASA Mario Covas que também faz parte desta regional citada acima, tumulto este que fora devidamente controlado pelos servidores de plantão, agora cabe saber da instituição o porquê esta regional vem apresentando tantos problemas, pois nenhum gestor poderá dizer que não foram ou estão sendo avisados das diversas irregularidades e totais falta de segurança que diuturnamente ocorrem  como por exemplos , falta de materiais e equipamentos, falta de servidores e principalmente pela total falta de gestão que se omitem diante de tantas agressões feitas aos servidores que acabam ficando a deriva sem se quer terem atendimento ou acompanhamento pós rebelião, fica claro, nítido e notório o descaso da gestão aos seus servidores de pátio que são os que mais sofrem fazendo funcionar a instituição e que seguram os cargos daqueles que nada fazem e que ganham os maiores salários.

CASA Belém está em sinal de alerta,
CASA Santo André explodiu e fere servidores,
CASA Tamoios sinal de alerta,
Complexo Raposo Tavares é um risco contínuo aos servidores e assim tantos outros centros de atendimento espalhados por todo o estado de São Paulo.

A corregedoria é totalmente parcial e para eximir as responsabilidades da instituição por suas omissões acusam os servidores de culpas que deveriam rever e apontar os verdadeiros culpados, já as autoridades e a alta cúpula da gestão preferem dizer a mídia que está tudo sob controle, enquanto isso os servidores deixam para seus familiares somente preocupações, lágrimas e quando não uma foto em suas lápides como recordações, chega meus companheiros e minhas companheiras, vamos dar um basta nesta situação, vamos todos(as) mostrar quem mantém verdadeiramente esta instituição e vamos exigir nossos direitos e principalmente nosso valor e nosso respeito dentro desta instituição, vamos á luta, juntos somos fortes e juntos venceremos a esses açoitadores que fecham os olhos e os ouvidos, fingindo que não nos veem e não nos ouvem,

Um forte abraço e vamos à luta.

14/07/16

SITSESP/SITRAEMFA em ação, departamento jurídico, diretoria e comissão de negociação em uma só luta, a luta de unir e ganhar em pró de toda a categoria contra nosso único inimigo que é o governo truculento.


Atenção Trabalhadores (as) da Fundação CASA, informe do andamento jurídico do processo no TST da campanha salarial 2016.

Agravo regimental é o recurso de agravo previsto nos regimentos internos dos tribunais, cabível da decisão monocrática do tribunal (no nosso caso o Presidente do TST, tomou a atitude do efeito suspensivo dos ganhos da Campanha Salarial sozinho, sem a opinião dos demais ministros do TST).


O agravo regimental é um documento no qual o sindicato pede a posição do colegiado do TST.


ANALISE DA SITUAÇÃO leiam com atenção, 

PRIMEIRAMENTE: Não se trata de uma nova negociação ou proposta entre a Fundação e o Sindicato, pois esta negociação se esgotou no momento que gerou Dissidio, já sendo julgado pelo TRT, porém, sendo suspensa a sua execução pelo TST. O que temos é uma antecipação.


- DIA 08/07 (sexta fera): A fundação ofereceu 5,22% de reajuste + 100% Bônus, desde que DESISTISSE DO RECURSO NO TST.


- DIA 12/07 (quarta feira) A fundação continua com os 5,22% de reajuste + 100% Bônus, NÃO PRECISANDO DESISTIR DO RECURSO NO TST.


O QUE TEMOS: No TRT ganhou, mas NÃO LEVOU 11,07% (sem previsão de julgar), a fundação ofereceu 5,22% (recebe a partir de março/16) , fica a diferença é de 5,85%.
>>> Como a fundação retirou a necessidade de desistir do Recurso, logo, SE ASSEMBLEIA CONCORDAR vamos obter o aumento de 5,22% , aguardando o julgamento do Dissidio no TST, que poderá dar o seguinte resultado, desde que ACEITE A PROPOSTA DA FUNDAÇÃO :
1. A assembleia ACEITANDO A PROPOSTA, e o SINDICATO GANHANDO o recurso no TST, a fundação terá que pagar a diferença de 5,85%, desde março/2016 , lembrando , que já ESTAREMOS RECEBENDO 5,22% de reajuste.
2. A assembleia ACEITANDO A PROPOSTA, e O SINDICATO PERDENDO o recurso no TST, a fundação não irá pagar a diferença de 5,85%, porém, teremos o reajuste de 5,22% garantido, pois já estará sendo pago.


IMPORTANTE: se A ASSEMBLEIA NÃO ACEITAR, NÃO TEREMOS AUMENTO ESSE ANO, NEM NOS PRÓXIMOS referente a 2016. E caso de não aceitar e o sindicato perca o recurso NÃO TEREMOS NADA de reajuste em 2016. (O sindicato não ganha esse recurso, explico logo abaixo) 
.
NOTAS:
1. Prazo para julgamento TST:
a. Para se ter uma ideia, o dissidio de 2015 nem foi julgado.
b. Imagina o dissidio de 2016, para piorar, a matéria do dissidio de 2016 é constitucional, o que pode levar o dissidio ao STF.
i. Julgamento no TST, de 3 a 5 anos.
ii. Julgamento no STF, após o TST (3 a 5 anos) + 4 a 6 anos.
2. Além da demora pelo julgamento, não ganharemos o dissidio, vejamos:
a. Fundação aguardou até o ultimo dia para liberar a folha de pagamento, porquê? Porque ela obteve antecipadamente a GARANTIA DO TST que SUSPENDERIA O AUMENTO DE 11,07% , e foi o que aconteceu.

b. Agora, ela desistiu de querer a DESISTÊNCIA DO SINDICATO EM PROPOR O RECURSO NO TST, PORQUE? Porque novamente, já tem a garantia de que o TST, ira julgar a seu favor, com base na sumula vinculante 37 do STF, que diz que o JUDICIÁRIO NÃO PODE CONCEDER AUMENTO AO EXECUTIVO. (tudo isso é decisão politica, não interessa mais se tem direito ou não, se trata de correção e não aumento, a atual situação do país, vai permitir uma decisão politica, e assim já foi, quando a fundação segurou a folha, e esperou a palavra do TST para suspensão.)
.
A greve foi feita de uma maneira correta, 30 dias passando pelas regiões, respeitou o limite imposto pelo TRT de funcionários trabalhando, foi as ruas, e ganhou 11,07 do TST, POREM NÃO RECEBEU E NEM RECEBERÁ. Pense você, a situação do pais, estados atrasando salários, fora que o desemprego esta em alta. O TST fica em Brasilia, a decisão não envolve apenas o direito, envolve a conjuntura do país, e principalmente politica, que já foi relatado aqui.
Não se trata de quem fez greve ou não, a questão é financeira, temos a chance de receber 5,22% e, caso ganhe a ação, receber a diferença, ou, podemos ficar sem receber NADA.
>>>>>>> TEM QUE ACEITAR, POIS É UMA ANTECIPAÇÃO DE UM FUTURO REAJUSTE, E NÃO É DESISTÊNCIA DO PROCESSO DO TST, MELHOR DO QUE FICAR SEM NADA.
.
Cuidado: existe algumas conversar de fazer greve. Não há que se pensar nisso, pois será ilegal, e dará oportunidade para a Fundação instaurar Processo Administrativo. (ouvi que uma possibilidade de fazer greve com uma decisão de 2004, É IMPOSSÍVEL, não caiam nessa.


01/06/16

FUNDAÇÃO CASA, uma gestão perdida e sem saída para ressocialização dos jovens infratores do estado de São Paulo, mudou o secretário de Justiça e cidadania de São Paulo e agora precisam mudar a gestão desta tão importante instituição que há anos se perdeu atentando-se somente em transformar a instituição em um imenso cabide de empregos(cargos comissionados não concursados), ao invés de cuidar dos interesses para o qual foram designados.

Não adianta criar mais 1.000 unidades que vai encher do mesmo jeito, diz especialista sobre Fundação Casa

Instituição enfrenta déficit de vagas e rejeitou internações durante greve de funcionários
Dinalva Fernandes, do R7
Para sociólogo, modelo da Fundação Casa está falidoDivulgação
A Fundação Casa enfrenta uma das maiores crises em relação à infraestrutura dos últimos anos. Os funcionários, por exemplo, ficaram de braços cruzados por 21 dias reivindicando melhorias trabalhistas, como segurança. A paralisação deixou mais um ponto da instituição exposto: a falta de vagas. A fundação teria se negado a internar adolescentes devido à superlotação, principalmente durante a greve.
Para o professor e sociólogo do Mackenzie João Clemente de Souza Neto, a falta de vagas não é problema da instituição, pois o modelo como um todo, está falido.
— O Brasil tem uma proposta mais punitiva do que pedagógica e educativa. Da forma como é o modelo da Fundação Casa hoje, pode abrir mais 1.000 unidades que vai encher do mesmo jeito.
Segundo o especialista, é necessário criar políticas preventivas, e não curativas, por meio de políticas públicas.
— O adolescente que assalta à mão armada, por exemplo, já praticou o crime. Tem que criar mecanismos para evitar que isso aconteça. Sobretudo nesta faixa etária, o Brasil tem ausências de políticas de cultura. A maior parte desses meninos não tem onde conversar, trocar ideias. Não tem espaço como praças, por exemplo, nem acesso a teatro e música.
Na quarta-feira (25), o jornal Folha de São Paulo publicou reportagem afirmando que a Fundação Casa tem se recusado a internar menores infratores por falta de estrutura. O texto denuncia que, apenas neste mês, 107 adolescentes suspeitos de cometerem crimes graves, como roubos a mão armada, foram libertados de delegacias na Grande São Paulo.
A greve teria agravado o problema, pois os trabalhadores não cumpriram a determinação de manter 70% do quadro de funcionários trabalhando durante o período. Os funcionários voltaram a trabalhar na terça-feira (24) após o TRT (Tribunal Regional do Trabalho) votar o dissídio coletivo da categoria. Eles tinham entrado em greve no último dia 7.
A instituição havia proposto reajuste de 5,22%, mas a paralisação só foi suspensa com a decisão do TRT, que decretou aumento de 11,07% e retorno imediato dos funcionários, além de reposição de horas para que os que ficaram de braços cruzados. A Fundação Casa informou que recorrerá da decisão, alegando que a questão salarial depende do orçamento público.
Em nota, a instituição negou o déficit de vagas e esclareceu que o fluxo de atendimento não foi interrompido totalmente no período de paralisação. Entre os dias 7 e 24 deste mês, 817 adolescentes deram entrada das delegacias para os centros socioeducativos na capital, Grande São Paulo e litoral e que, desde o término da greve, os pedidos de vagas estão sendo atendidos como de costume.
A fundação ainda contestou os dados usados na reportagem de que 107 internações foram negadas em maio nas comarcas citadas e que, na verdade, houve um total de 72 pedidos. Segundo a instituição, a maioria dos casos eram referentes a atos infracionais leves que, de acordo com o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), deveriam gerar medida socioeducativa de liberdade assistida ou prestação de serviço à comunidade, não necessitando de internação provisória.
Internação necessária?
Souza Neto diz que a maioria dos internos não deveria estar na Fundação Casa, pois cerca de 70% deles cometeram atos infracionais por causa do tráfico de drogas e/ou dependência química.
— Ele rouba para pagar traficante ou para comprar entorpecentes. Portanto, eles precisam de tratamento médico e acompanhamento psicológico. Ou seja, há alternativas mais efetivas. Se você tem uma torneira aberta e vai secar o chão, você vai passar o dia inteiro fazendo. Tem que arranjar um jeito de fechar a torneira.
Para o professor, o maior prejudicado desta crise é o adolescente porque este é o momento em que ele está aprendendo a viver a vida dele. De acordo com o especialista, o jovem nesta faixa etária não tem discernimento e age por impulso para enfrentar a realidade dele que é, muitas vezes, cercada de miséria e sofrimento.
— Muitas vezes a realidade nos leva a fazer coisas erradas. Esta [cometer crime] é a forma como ele reagiu. O Estado se tornou o maior violador de direitos humanos e deveria ser responsabilizado. A questão dos funcionários e a superlotação são violações contra os trabalhadores e os adolescentes.

24/05/16

Grande manifestação dos servidores da Fundação CASA.

Servidores da Fundação CASA fazem manifestação neste momento, os mesmos pararam avenida Paulista onde reivindicam melhores condições de trabalho, dentre essas reivindicações os servidores exigem mais segurança nos locais de trabalho, salário mais digno, capacitação continuada e um plano de cargos e salários que contemple os anseios da categoria,os servidores hoje completam 18 dias de greve mantendo um quadro efetivo de 70/50% em atividade conforme determinado por uma liminar emitida pelo desembargador do TRT, ainda assim a alta cúpula da gestão da instituição tenta descaracterizar o movimento paredista como " greve abusiva", para que assim possa descontar os dias parados dos servidores e conseqüentemente possam demitir os que aderiram a greve.


12/05/16

ATENÇÃO: "Prejuízos ao erário" e "Improbidade Administrativa", ocasiona falta de dinheiro aos cofres públicos e pode ser um dos pontos causadores da GREVE dos servidores da fundação CASA.



Os servidores da Fundação CASA do estado de São Paulo completam o 6º dia de greve que já atinge os 150 centros de atendimento de todo o estado.

De acordo com informações dadas pela direção do sindicato da categoria, esta é a maior paralisação com o maior número de adesão de servidores desde 2004, quando a greve se manteve por 74 dias.

Os servidores da instituição reivindicam melhores condições de trabalho dentro dos centros de atendimento, tais como um corpo funcional maior, mais segurança, capacitação continuada e adequada as realidades atuais, além de pedir uma gestão melhor qualificada e capacitada.

Os empregados também suscitam qualificação para os empregados de gestão no sentido de extinguir algumas situações de assedio vivenciados em alguns centros, além de buscarem melhores remunerações, evitando com isso a obrigatoriedade e necessidade de realização de horas extras e bicos.

Além dessa questões os servidores buscam ainda, reconhecimento automático ao direito de quinquênio e sexta parte, direito a licença premio, um reajuste nos vales de alimentação e refeição, melhor aproveitamento dos servidores concursados para que venham assumir cargos de chefia, possibilitando assim que as chefias sejam estritamente realizadas por empregados de carreiras, e não nomeações de “fora”, com isso a categoria deixa claro que o atual plano de cargos não supre as necessidades, o que acaba gerando desigualdades salariais em pessoas que tem os mesmos perfis funcionais.

Dentro ainda de outras tantas reivindicações os servidores querem uma corregedoria geral justa e imparcial e não como a que hoje opera de forma somente punitiva, com total parcialidade gerando uma altíssima quantidade de processos administrativos sem que antes sejam todos os fatos devidamente e legalmente apurados, gerando um imenso número de demissões por justa causa que com certeza posteriormente resultarão em processos trabalhistas contra a instituição Fundação CASA, gerando assim um custo ainda maior para os cofres públicos, que quase em uma totalidade dos processos gerados o estado tem de pagar os direitos trabalhistas, devido uma ação que no mínimo ocasiona "prejuízos ao erário" e "improbidade administrativa" a esta instituição de autarquia pública, porém gerida por pessoas que se acham donos (patrões) e acima das leis, (Alta cúpula da gestão e corregedor geral).



Art. 5° Ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão, dolosa ou culposa, do agente ou de terceiro, dar-se-á o integral ressarcimento do dano. 



Os servidores alegam a total irresponsabilidade fiscal desta atual gestão (presidente da instituição) devido sua omissão e possível conivência em saber de todos esses gastos causados por diversos setores e deixar que deem continuidade sem intervir de alguma forma, isso sem dizer que caracteriza total conhecimento dos fatos e conivência também do governo do estado de São Paulo.

Cabe lembrar que esses atos de irresponsabilidade fiscal do governo, já acontecem desde antes desta atual gestão da Fundação CASA, quando ainda era presidida pelo atual secretário de segurança pública do Governo do Estado de São Paulo senhor Alexandre de Moraes, que no final de sua gestão como presidente da instituição, demitiu ilegalmente (1751) um mil setecentos e cinquenta e um servidores ocasionando o mesmo número de processos trabalhistas onde todos foram reconhecidos pela justiça do trabalho como demissão arbitrária e improcedente, sentenciando a instituição Fundação CASA a reintegrar os trabalhadores, tendo de ressarcir a todos com seus direitos trabalhistas e ao retorno imediato ao trabalho, isso ocasionou um custo aproximado de (R$ 70.000.000,00) setenta milhões de reais aos cofres públicos do estado e o pior de tudo é que este mesmo que ocasionou um verdadeiro rombo nos direitos dos trabalhadores e nos cofres públicos do estado, logo em seguida foi convidado pelo governo da época e atual Geraldo Alckmin, a assumir a secretária de transporte que teve de ser retirado por quase ter acabado com a qualidade do transporte público de São Paulo, mas se isso não bastasse esse mesmo causador de rombos aos cofres do estado foi novamente convidado pelo governo a assumir outra de suas secretarias, desta vez a secretaria de segurança pública do estado de São Paulo, que com todo seu conhecimento teve mais uma de suas ações negligentes, passando por cima das leis e sem ordem judicial, ordenou que a polícia militar invadisse uma escola ocupada por estudantes que reivindicavam seus direitos preservados em nossa constituição federal para que desocupassem ainda que fosse necessário o uso de força moderada mesmo sabendo que lá haviam "estudantes menores de idade", não bastando tudo isso, agora foi convidado por Michel Temer para assumir o ministério da justiça e cidadania caso ele venha assumir a presidência da república se o golpe assim for concretizado.

A categoria juntos a sociedade acredita que está na hora de apontar os verdadeiros responsáveis e junto a eles os diversos crimes cometidos contra os cofres públicos do estado, dizem também que chega de tanta impunidade e que de agora em diante, tudo e todos serão devidamente apontados por seus atos criminosos, "chega de pagarmos por atitudes criminosas de quem as cometem".

"Somos todos trabalhadores, pais e mães de família, simplesmente somos aqueles que mantêm o país nos trilhos dia a dia com nosso suor, somos os açoitados, os pisoteados, os segregados, e somos infelizmente aqueles que mantêm as luxurias, as regalias e o status dos que nos colocam a cada dia mais na miséria, na ignorância e que não querem um povo unido, fortalecido e informado, porém a partir de agora seremos diferentes, vamos nos unir contra estas pessoas, ensinaremos que ninguém deve pisar em seu semelhante, vamos todos atrás de nossos objetivos dentro de um ambiente democrático, lutaremos sim, pelos nossos direitos e faremos de tudo para acabar com a miséria e a desigualdade que tanto aflige nossa sociedade, vamos mostrar a estas pessoas que de braços fortes e mãos unidas nos levantaremos com uma só bandeira e uma só voz, a bandeira da justiça e a voz do povo, basta de desigualdade, basta de opressão". 



Texto de: Leandro Andretta.



Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;



                   fotos extraídas do google

03/05/16

Leia um pouco mais sobre a Lei de GREVE.


A greve é um direito dos trabalhadores, embasada na Constituição Federal, sob a Lei nº 7.783,
que após os trâmites formais como comunicar os órgãos competentes a ação deve ser concretizada na paralisação de fato dos Centros. Conforme informado aos trabalhadores na Assembleia Geral da categoria do dia 30/04, onde os trabalhadores decretaram a greve. Alguns itens da lei de greve a seguir:
Direito à GREVE:

É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.
Parágrafo único. O direito de greve será exercido na forma estabelecida nesta Lei.
Parágrafo único. A entidade patronal correspondente ou os empregadores diretamente interessados serão notificados, com antecedência mínima de 48 (quarenta e oito) horas, da paralisação.

Art. 5º A entidade sindical ou comissão especialmente eleita representará os interesses dos trabalhadores nas negociações ou na Justiça do Trabalho.

Art. 6º São assegurados aos grevistas, dentre outros direitos:
I - o emprego de meios pacíficos tendentes a persuadir ou aliciar os trabalhadores a aderirem à greve;
§ 1º Em nenhuma hipótese, os meios adotados por empregados e empregadores poderão violar ou constranger os direitos e garantias fundamentais de outrem.
§ 2º É vedado às empresas adotar meios para constranger o empregado ao comparecimento ao trabalho, bem como capazes de frustrar a divulgação do movimento.
§ 3º As manifestações e atos de persuasão utilizados pelos grevistas não poderão impedir o acesso ao trabalho nem causar ameaça ou dano à propriedade ou pessoa.
Serviços essenciais:
II - assistência médica e hospitalar;
III - distribuição e comercialização de medicamentos e alimentos;

Art. 14 Constitui abuso do direito de greve a inobservância das normas contidas na presente Lei, bem como a manutenção da paralisação após a celebração de acordo, convenção ou decisão da Justiça do Trabalho.
Art. 15 A responsabilidade pelos atos praticados, ilícitos ou crimes cometidos, no curso da greve, será apurada, conforme o caso, segundo a legislação trabalhista, civil ou penal.
Art. 17. Fica vedada a paralisação das atividades, por iniciativa do empregador, com o objetivo de frustrar negociação ou dificultar o atendimento de reivindicações dos respectivos empregados.

28/04/16

Internos da Fundação Casa algemam agentes e fogem de van após jogo

28/04/2016 08h23 - Atualizado em 28/04/2016 09h31

Internos da Fundação Casa algemam agentes e fogem de van após jogo

Adolescentes participavam de campeonato de basquete em Batatais (SP). 
Internos usaram meiões para aplicar 'gravata' e render funcionários. 

Do G1 Ribeirão e Franca
Seis internos da Fundação Casa de Taquaritinga (SP) renderam um motorista e fugiram de dentro de uma van, que fazia o transporte dos adolescentes após participarem de um campeonato de basquete, na tarde de quarta-feira (27).
Em nota, a Fundação Casa informou que abriu sindicância para apurar as circunstâncias da fuga dos jovens que cumpriam medida socioeducativa e que nenhum interno foi recapturado até a manhã desta quinta-feira (28).
Segundo informações do boletim de ocorrência, 10 adolescentes foram levados para a competição em Batatais (SP). Depois do jogo, quando viajavam de volta para Taquaritinga, os internos deram uma gravata no motorista e seis fugiram da van da Fundação Casa.
Outros três funcionários que acompanhavam o grupo também foram rendidos pelos internos com o golpe. Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, os adolescentes usaram meiões de basquete para aplicar a gravata nos agentes.
Os adolescentes conseguiram tirar as algemas e algemaram dois dos funcionários e amarraram o motorista e outro agente com um cadarço de tênis. Os reféns também tiveram alianças, relógios e celulares roubados pelo grupo.
Um dos internos assumiu a direção do veículo, em frente ao trevo da Universidade Estadual Paulista (Unesp), de Jaboticabal (SP). Ele dirigiu poucos metros até a frente de um hotel e os adolescentes deixaram a van.
Como estavam com os olhos vendados, os agentes não viram em que direção os internos fugiram. Os outros adolescentes que continuaram na van ajudaram a desamarrar o motorista, que seguiu com a van até a Fundação Casa de Taquaritinga, onde acionaram a polícia.
Fundação Casa
Em nota, a Fundação Casa informou que a corregedoria da instituição instaurou uma sindicância para apurar as circunstâncias da fuga dos internos que cumpriam medida socioeducativa em Taquaritinga.
A instituição informou também que nenhum adolescente foi recapturado até a manhã desta quinta-feira e afirmou que a Polícia Militar foi acionada e realiza buscas na região.
Ainda de acordo com a Fundação Casa, os menores que forem apreendidos passarão por uma Comissão de Avalição Disciplinar (CAD) e poderão sofrer sanções disciplinares, que vão da redução do tempo de visita à suspensão de atividades externas.

11/04/16

Atenção servidores(as) da Fundação CASA, é hora de nos unirmos e mostrarmos a esta atual gestão a força que temos e principalmente o quão importante somos para esta instituição que há anos tem nos abandonado e nos atrocitado por esta gestão omissa e autoritarista.

 Meus caros e nobres amigos e amigas, é do saber de todos (as) servidores (as) os absurdos que sempre aconteceram e continuam acontecendo nos centros de atendimento que pertencem a DRM V, cujo qual, controlada pelo poderoso chefão e sua cúpula e todas as outras divisões regionais, existe uma imensa demanda de denúncias contra as gestões de diversas regionais, sendo todas devidamente fundamentadas com provas documentais e testemunhais, porém não consigo entender tamanha impunidade, melhor dizendo consigo entender sim devido a omissão da presidente desta instituição que para não haver um verdadeiro escândalo prefere fazer de conta que nada acontece mesmo tendo a mais pura consciência de todas as atrocidades que seus gestores cometem em suas regionais e em suas unidades de atendimento, é verdade que estou fora da instituição, como também é verdade que através da justiça retornarei, por isso jamais deixarei de lutar por uma instituição mais justa onde tenha em seu comando pessoas que verdadeiramente queiram fazê - lá funcionar de forma mais adequada tanto para a ressocialização dos jovens infratores quanto principalmente que venham a dar melhores remunerações e as devidas condições de trabalho valorizando assim esses heróis servidores que mantém os altíssimos salários desta atual cúpula SAPista que ocupam o mais alto escalão de cargos comissionados, acredito que é a hora dos servidores iniciarem um ato de indignação a esta atual gestão, é hora de arregaçarem as mangas, criarem coragem e exigir uma reformulação de gestão das regionais, pois os que lá estão já se sentem os donos de tudo e de todos, é hora de mostrarmos juntos quem mantém o andamento da instituição, é hora de mostrarmos que não somos covardes ou tão pouco omissos para que venhamos aceitar as verdadeiras atrocidades que esta atual gestão tem feito com cada um de nós servidores.
Pensem e reflitam, pois daqui para frente farão de nós o que permitirmos que façam e dependendo de nossa escolha teremos ou não nossa carta de alforria.

Um forte abraço e que Deus nos abençoe. Francisco Menezes, Eduardo Felipe Pereira, Jairo Campelo, Adriano Neiva, Michel Munhoz, Franklin, Jurandir, Afonso Rogério, Juliana Sena, Patrick Morales e todos os demais que se sentem injustiçados pela falta de preparo e pela falta de imparcialidade de uma corregedoria falha e autoritarista.


Quando a certidão de antecedentes criminais poderá ser exigida pela empresa?

Tribunal Superior do Trabalho - TST
2 h
‪#‎RevistaTST‬ Exigir certidão de antecedentes criminais, pode ou não pode? No quadro ‪#‎QueroPost‬ você saberá se a empresa pode exigir apresentação de antecedentes criminais para contratar empregado.
Descrição da imagem ‪#‎PraCegoVer‬: ilustração de uma mesa com uma xícara com café, papéis, envelope, canetas, lápis e uma mão com uma lupa amplia dados de um documento. #QueroPost

8° Ato Público dos (das) Trabalhadores (as) - Fundação CASA - Campanha Salarial 2016.


Hj 11/04/2016

8° Ato Público dos (das) Trabalhadores (as) - Fundação CASA - Campanha Salarial 2016.
Para além, de um justo e merecido aumento salarial, os companheiros (as) desta categoria, exigem com urgência a Segurança no local de trabalho. Infelizmente há notícias de CASAs e servidores alvejados por tiros, de fora para dentro dos centros de atendimento. Com a fragilidade principalmente dos CASAs modelos T40, o aumento da violência e a insegurança no Estado de SP, trabalhadores (as) se tornam alvo fácil da criminalidade, que alicia cada vez mais adolescentes em situação de vulnerabilidade social, pobres e principalmente das periferias deste imenso e tão RICO Estado de SP, para a marginalidade e crime organizado. Os/As Trabalhadores (as) da Fundação CASA, exigem o DIREITO À VIDA SEGURA. Sigamos em Luta!


Postagens mais antigas Página inicial

Pedrosa e Oliveira Advogados Assossiados

Pedrosa e Oliveira Advogados Assossiados
Procure seus direitos, procure um advogado.Rua do Bosque,1589 - 8º andar - Sala 807 - Edificio Capitollium Barra Funda - SP - CEP 0136001 - E-mail:pedrosa.oliveiraadvogados@gmail.com (11)3473-2638 (11)33938436

Postagens Populares

 

Abaixo Assinado

Abaixo Assinado
Obrigatoriedade da Contratação do Gestor de Segurança nas Empresas Privadas

Sobre

Minha foto
Sou um dos poucos que ainda gostam de seres humanos e que os respeitam como humanos e não como aqueles que os veem como máquinas do sistema podre e hipócrita em que vivemos nos dias de hoje.

Seguidores